Compra de ventiladores, disponibilização de edifícios e acompanhamento das populações mais pobres são marca em tempo de pandemia

Foto: Lusa.
Ação social da Santa Casa da Misericordia de Castro Daire

 

Lisboa, 25 mar 2020 (Ecclesia) – As dioceses e instituições da Igreja Católica em Portugal estão a oferecer respostas solidárias para enfrentar a crise provocada pelo Covid-19, desde a compra de ventiladores à disponibilização de edifícios para profissionais de saúde e IPSS.

O Santuário de Fátima assumiu a compra de três ventiladores e a Diocese de Viana do Castelo e a Irmandade Senhor Bom Jesus da Cruz, de Barcelos, estão com campanhas em curso para a aquisição destes aparelhos, com as quais é possível contribuir.

A Cáritas Portuguesa, presente em todo o território, ativou desde a última sexta-feira os seus Planos de Contingência: a entrega de alimentos está a ser assegurada por técnicos ou voluntários, “que garantem que as famílias em situação de fragilidade financeira ou que habitualmente recebiam este apoio, continuam a ter acesso aos alimentos, nomeadamente através da entrega de cabazes e através do apoio domiciliário”.

Este trabalho está, na maioria dos casos está a ser feito, em articulação local com as Câmaras Municipais e com as Juntas de Freguesia, adianta a organização católica, em comunicado divulgado através da internet.

Outras situações estão a ser acauteladas, nomeadamente, as Cáritas Diocesanas que têm respostas de apoio a situações de violência doméstica.

Também as valências de apoio a pessoas sem alojamento alargaram os seus horários de atendimento.

Apesar da suspensão do peditório público nacional, devido à propagação do novo coronavírus, a Cáritas Portuguesa continua a recolher donativos através de uma plataforma online, em https://caritas.pt/donativosonline/.

As dioceses de Santarém, Viana do Castelo, Braga, Aveiro,  Évora e Leiria-Fátima disponibilizaram instalações e material logístico para alojar profissionais de saúde ou de IPSS, além de apoiar as atividades da Proteção Civil.

A Diocese do Porto ofereceu o Pavilhão nº 4 do Seminário do Bom Pastor (Ermesinde) à SRNorte da Ordem dos Médicos, o que ainda não se revelou necessário.

As instituições sociais da diocese de Bragança-Miranda dão “apoio gratuito” para ajudar nas compras, em deslocações à farmácia ou para uma “escuta ativa” através do número 935430388.

A Paróquia de Nossa Senhora da Conceição, em Silves, Diocese do Algarve, também está a dinamizar um serviço de ‘compras em casa’ para ajudar os idosos, as pessoas doentes, os isolados e sozinho para prevenir o contágio do coronavírus – 9159333097.

Desde sábado, o padre Sandro Vasconcelos está disponível para ir às “compras, farmácias, jornais e revistas e apoio espiritual” para as pessoas “mais velhas”, que não têm esse apoio, e partilhou o seu número de telemóvel – 937999990.

O grupo de acólitos da Paróquia de Santa Cecília, no Arciprestado de Câmara de Lobos (Diocese do Funchal), está a disponibilizar-se para ajudar a população mais idosa, indo às compras ou à farmácia.

Os Amigos à Mão, grupo da Paróquia de Cascais, lançou um serviço de compras para idosos e doentes crónicos que não podem sair de casa para ir à farmácia ou ao supermercado – basta enviar um email para amigosamao@gmail.com ou ligar (entre as 12h00 e as 14h00) para 967055211.

Na Diocese de Aveiro, a paróquia da Vera-Cruz integra a iniciativa “vizinhos de Aveiro”, uma plataforma de cidadania ativa e que disponibiliza acompanhamento dos moradores em situação de maior vulnerabilidade.

As associações do setor social e solidário em Portugal disponibilizaram os seus hospitais e lares para fazer face à pandemia do Covid-19, num momento em que o país se encontra em estado de emergência, reforçando o apoio domiciliário.

A Comunidade Vida e Paz (CVP) lançou uma campanha nas redes sociais, para ajudar os sem-abrigo, e mantém em funcionamento a ações na rua e o “Espaço Aberto ao Diálogo”.

O serviço da “Porta Solidária” da Paróquia da Senhora da Conceição, no Porto, está a servir diariamente refeições aos sem-abrigo e outros pobres.

O Banco Alimentar, com o apoio da ENTRAJUDA e em articulação com a Bolsa do Voluntariado, anunciou a criação de uma Rede de Emergência Alimentar – rede.emergencia.alimentar@bancoalimentar.pt.

A Confederação Portuguesa do Voluntariado informa que a plataforma para a oferta de voluntários e “encontro de necessidades concretas”, www.portugalvoluntario.pt , está disponível para quem quer ser voluntário ou quem tem “necessidades de voluntariado”.

OC

Página com informação em atualização sobre a resposta da rede nacional Cáritas

Partilhar:
Share