Sacerdote da Arquidiocese de Braga disponibiliza número de telemóvel para ajudar paroquianos

Vila Verde, 24 mar 2020 (Ecclesia) – O padre Sandro Vasconcelos, com seis comunidades na Arquidiocese de Braga, vai às compras, à farmácia, à banca dos jornais e revistas, aos correios e paga contas pelos seus paroquianos mais velhos, como medida preventiva do Covid-19.

“Já fiz compras para duas famílias de idosos que não têm ninguém”, disse hoje o pároco de Godinhaços, Arcozelo, Marrancos, Moure, Pedregais e Rio Mau, em entrevista à Agência ECCLESIA, adiantando que vai ao supermercado habitual das pessoas porque “já conhecem os preços”.

Desde sábado, o padre Sandro Vasconcelos está disponível para ir às “compras, farmácias, jornais e revistas e apoio espiritual” para as pessoas “mais velhas”, que não têm esse apoio, e partilhou o seu número de telemóvel – 937999990 – na rede social Facebook, mas essa oferta tem-se alargado conforme as necessidades.

“É curioso que houve coisas que nem pensei e fui solicitado como pagar faturas da água, e, ainda ontem, ligou-me uma senhora de Lisboa porque a mãe tinha uma carta registada para meter no correio para o advogado”, exemplificou.

Sobre a forma de atuação, assegurou que não entra na casa das pessoas mas telefona quando chega às habitações, espera “dentro do carro e a pessoa entrega a lista, a carta, a fatura, do outro lado do condutor” e, se precisar de regressar, deixa tudo à porta e telefona novamente quando já está dentro do carro.

“As contas fazem-nas depois comigo, quando isto passar, o talão está dentro da saca e, neste momento, não têm de se preocupar, até é uma forma de ajudar aquelas pessoas que possam estar a ter dificuldades”, acrescentou.

‘Eu faço por si – #fique em casa’ é o lema da iniciativa solidária do padre Sandro Vasconcelos que está “muito feliz” por ver que nas suas seis paróquias as pessoas estão “conscientes que têm de estar em casa”, e considera que a sua disponibilidade também leva as pessoas mais velhas a pensar: ‘Se até o padre vem buscar as coisas a casa ou vem trazer é porque realmente não podemos sair’”.

O sacerdote explicou que nas suas comunidades há “pessoas isoladas”, que “não têm ninguém, os filhos são emigrantes”, e quando começou o isolamento social por causa do coronavírus Covid-19 lembrou-se, entre outros exemplos, que há cerca de três meses “uma senhora foi à Missa com a testa rachada e o golpe cheio de betadine”, por ter batido numa arca.

“Peguei na senhora e fui à Misericórdia de Vila Verde”, recordou.

Se os pedidos de ajuda começarem a aumentar, o pároco de Godinhaços, Arcozelo, Marrancos, Moure, Pedregais e Rio Mau já tem uma rede de apoio social para esta iniciativa com o apoio dos “grupos de jovens”, do Grupo Recreativo e Desportivo da Ribeira do Neiva e pessoas a nível particular “que telefonaram de Braga e Vila Verde”.

Sobre o apoio espiritual, o padre Sandro Vasconcelos salientou que, “neste momento, é à distância” e ainda esta segunda-feira esteve a conversar com um senhor que ia a passar de trator numa das suas paróquias, um desabafo que também faz “muito mais pelas redes sociais, todos os dias”.

O sacerdote de Braga refere que tem “gel desinfetante no carro”, usa máscara, não se aproxima “de ninguém a menos de dois metros” e nos estabelecimentos comerciais respeita “o que é pedido e as filas à porta”, e revela que vive o estado de emergência “preocupado, como todos”.

Tenho preocupação familiar, tenho pais com 68 anos de idade, um irmão com três filhos pequeninos em casa que também procuro apoiar e enquanto padre falta-me o povo, quem é pároco desde o início, faz 20 anos em julho, o domingo é o dia mais duro que nos falta falar com as pessoas, e é curioso que as pessoas dizem a mesma coisa”.

O sacerdote explicou que celebra a Eucaristia “sozinho” e não transmite pela internet porque os paroquianos “sabem que têm as Eucaristias que o D. Jorge (Ortiga, arcebispo de Braga) preside na capela do Paço Arquiepiscopal todos os dias, e ao domingo na RTP, na TVI e também do Paço”.

“Canalizei o meu povo para a missa do Paço e estamos todos em comunhão”, realçou.

O padre Sandro Vasconcelos também é cantor e adiantou que no dia 3 de abril (sexta-feira), a partir das 21h00, vai estar em direto com o “concerto em casa, isolamento com Deus”, na rede social Facebook.

Portugal tem 33 mortes associadas ao vírus que provoca a covid-19, revelou hoje a Direção-Geral da Saúde (DGS), que corrigiu os dados anteriormente divulgados.

O boletim regista 2362 pessoas infetadas pelo novo coronavírus, 48 das quais em Unidades de Cuidados Intensivos.

CB/OC

Partilhar:
Share