Síntese dos trabalhos a nível convida a «não ter medo de arriscar quando se trata de fazer opções pastorais»

Foto: Diocese de Aveiro

Aveiro, 16 jun 2022 (Ecclesia) – A Diocese de Aveiro publicou a síntese local para o Sínodo 2021-2023, convocado pelo Papa, sublinhando que se reclama da Igreja “um outro modo de presença, onde se acolhe e se escuta”.

“As respostas recebidas refletem os tempos que se vivem, onde impera o individualismo e consequente perda do sentido de pertença; A Igreja, na sua relação com o mundo e cultura atuais enfrenta grandes desafios e reclama-se um outro modo de presença, onde se acolhe e se escuta”, indica o documento, disponível online.

“o mundo mudou, a Igreja ainda não entendeu isso”, acrescenta o texto.

A equipa diocesana que promoveu, coordenou e organizou este processo sinodal afirma que a Igreja Católica tem dificuldade em “perceber e aceitar a cultura atual (do instante e do provisório)”, por isso, não sabe situar-se “profeticamente, nem é capaz de comunicar a sua mensagem”.

O grande desafio é, pois, testemunhar a alegria e a vontade em viver os desafios do Evangelho num mundo que não se conhece e numa cultura que não se compreende”.

Segundo a síntese diocesana, a Igreja é vista de fora, e também internamente, por muitos leigos comprometidos, como “preconceituosa, elitista, conservadora e demasiado formal”, e tem “dificuldade em aceitar e lidar” com as pessoas marcadas por “uma qualquer diferença”.

A consulta realizada em Aveiro indica que o modelo de Igreja que se vive e experimenta em muitas comunidades, paróquias e movimentos “não favorece a participação e a missão, nomeadamente dos leigos e das religiosas”, os presbíteros estão “sobrecarregados” com tarefas administrativas, burocráticas e de gestão orçamental, com pouco tempo para o acolhimento e acompanhamento espiritual dos paroquianos, e a ação pastoral da Igreja “está muito circunscrita à liturgia e à catequese”.

Nas “alegrias e esperanças”, os participantes afirmam que a Igreja Católica “é ainda uma referência para as pessoas, mesmo não sendo tão próxima como estas precisam”, e a promoção desta consulta sinodal “abriu novos horizontes, favorecendo o encontro, a escuta, o acolhimento e o caminhar junto”.

Na consulta realizada há uma ideia sempre presente: não ter medo de arriscar quando se trata de fazer opções pastorais”.

Para os participantes no processo, é “urgente valorizar os ministérios laicais” e valorizar a presença e o papel das mulheres na Igreja, pelo que em muitos grupos se propõe “o acesso de mulheres ao diaconado” e que possam ser admitidas ao ministério presbiteral, além do “fim do celibato para aceder ao presbiterado”.

A síntese da Diocese de Aveiro foi escrita a partir do contributo dos grupos paroquiais e das sínteses paroquiais e arciprestais, o inquérito online – 230 respostas validadas; envolveu cerca de cinco mil pessoas e funcionaram cerca de 300 grupos paroquiais e outros.

O Sínodo 2021-2023, subordinado ao tema ‘Para Uma Igreja Sinodal: comunhão, participação, missão, ’promove um processo global de escuta e mobilização das comunidades católicas, com etapas diocesanas, nacionais e continentais antes da assembleia que o Vaticano vai receber, em outubro de 2023.

CB/OC

Aveiro: «Este trabalho não pode parar», diz bispo diocesano após assembleia pré-sinodal (c/vídeo)

Partilhar:
Share