Sete dioceses portuguesas receberam oferta, após passagem da Cruz dos jovens e do Ícone mariano pelo seu território

Foto: JMJ 2023

Lisboa, 16 jun 2022 (Ecclesia) – A Fundação JMJ Lisboa 2023 está a oferecer uma réplica da Cruz da Jornada Mundial da Juventude às dioceses portuguesas que viveram a peregrinação dos símbolos deste encontro, rumo à edição internacional que a capital portuguesa acolhe em agosto do próximo ano.

A iniciativa visa “lembrar a passagem dos símbolos pelas dioceses e incentivar os jovens a ‘ir mais além’”, refere uma nota divulgada online pela organização da JMJ 2023, em Lisboa.

A peregrinação da Cruz dos jovens e do Ícone mariano que a acompanha por todo o mundo passou, até hoje, por sete dioceses portuguesas (Algarve, Beja, Évora, Portalegre-Castelo Branco, Guarda, Viseu e Funchal) que receberam uma réplica da Cruz da JMJ, um dos símbolos oferecidos por São João Paulo II aos jovens de todo o mundo.

Segundo D. Américo Aguiar, presidente da Fundação JMJ Lisboa 2023, o objetivo é “fazer com que cada um assuma a cruz da Jornada em si, no que é a programação da pastoral para a JMJ, transportando a réplica da Cruz”.

A réplica “reproduz fielmente” a Cruz Peregrina da JMJ, quer na sua dimensão quer no material de construção, bem como nos elementos que constituem o conjunto – a base em ferro, pintada com o logótipo da JMJ Lisboa 2023 e a placa em metal com as palavras do Papa João Paulo II gravadas.

Foto: JMJ 2023

A produção está a cargo da empresa portuguesa Publipro e o processo de fabrico de cada cruz tem uma duração aproximada de 4 dias, compreendendo o corte, a contra colagem e os acabamentos.

Depois das Dioceses de Viseu e Évora terem recebido a réplica da Cruz Peregrina, no dia 31 de maio, Festa da Visitação da Virgem Santa Maria, foi a vez das Dioceses do Algarve, Beja, Évora, Portalegre-Castelo Branco e Guarda.

Para a Diocese de Beja, esta data, para além de corresponder ao episódio bíblico que dá o mote à JMJ Lisboa 2023, assinalava o aniversário da dedicação da Catedral.

“Será um sinal de memória daquilo que aconteceu [peregrinação dos Símbolos, em dezembro de 2021], mas também algo que nos lança para o futuro e que nos recorda a essência do cristianismo, convidando-nos a ir mais além e a seguir os passos do Senhor”, explica o coordenador do Comité Organizador Diocesano (COD) de Beja, padre Francisco Molho.

Já o padre Paulo Figueiró, do COD da Guarda, sublinhou que esta réplica pode representar “o reiniciar de uma outra etapa da peregrinação e entusiasmo dos nossos jovens rumo à JMJ”, com “os olhos na vivência dos ‘Dias na Diocese’ e, claro, na JMJ Lisboa 2023”.

A Cruz da Jornada Mundial da Juventude e o Ícone de Nossa Senhora, atualmente no arquipélago dos Açores, percorrem as dioceses de Portugal até julho de 2023.

A Cruz da JMJ foi entregue pelo Papa João Paulo II aos jovens em abril de 1984 e marcou o início de uma peregrinação da juventude de todo o mundo; em 2000, o mesmo pontífice confiou aos jovens uma cópia do Ícone de Nossa Senhora ‘Maria Salus Populi Romani’.

A cruz de madeira mede 380 cm de altura e pesa 31 kg; os braços medem 175 cm de largura e os painéis em madeira medem 25 cm de largura.

O Ícone de Maria mede 118 cm de altura, tem 79 cm de largura e 5 cm de profundidade, pesando 15 Kg.

OC

JMJ: Dioceses vão receber réplica da cruz das Jornadas para fazer «memória» e estimular até agosto de 2023

 

Partilhar:
Share