Francisco acompanha situação através da Conferência Episcopal

Cidade do Vaticano, 25 jul 2018 (Ecclesia) – Os bispos católicos da Nicarágua apelaram à reabertura de vias de diálogo entre o governo e a oposição, após recentes ataques contra estudantes e igrejas, uma situação acompanhada pelo Papa através da Conferência Episcopal.

Depois dos protestos contra o governo e a dura repressão que custou a vida a pelo menos 360 pessoas, o país vive dias de “tensão e angústia”, assinala o portal de notícias do Vaticano.

O ‘Vatican News’ realça que os bispos e o representante diplomático do Papa (núncio apostólico) têm denunciado “as violações dos Direitos Humanos”.

O presidente Daniel Ortega, por sua vez, acusou os bispos de “manobras de golpe contra o governo” e rejeitou os pedidos de demissão e de eleições antecipadas (2019 em vez de 2021).

No domingo, realizou-se um Dia de Oração pela paz, organizado pelo Conselho Episcopal Latino-Americano.

O cardeal Leopoldo Brenes Solorzano, presidente da Conferência Episcopal da Nicarágua e da Comissão para o Diálogo Nacional, disse nessa ocasião que a Igreja Católica é “perseguida” pelo governo do presidente Daniel Ortega.

Os responsáveis registaram pelo menos sete episódios de profanação e vários ataques a bispos desde que foram pedidas eleições antecipadas para acabar com a crise social e política.

OC

Partilhar:
Share