Comunidade vai instalar um «sistema fixo de vídeo» na igreja, para continuar a transmitir celebrações

Lisboa, 28 mai 2020 (Ecclesia) – O pároco de Nossa Senhora do Amparo de Benfica (Lisboa) afirmou que “é importante que as pessoas fiquem informadas do que devem fazer”, quando voltarem às celebrações comunitárias, para um “‘regresso a casa’ com segurança”.

“É importante que as pessoas fiquem conscientes, informadas, do que devem fazer e o vídeo foi feito para isso”, disse hoje o padre Nuno do Rosário Fernandes em declarações à Agência ECCLESIA, assinalando que esta preocupação “teve muito boa aceitação desde o início”.

O sacerdote do Patriarcado de Lisboa quis passar esta mensagem com um vídeo informativo, apresentado esta quarta-feira à noite, antes da transmissão online do Terço, e publicado pelas 23h00, com produção dos jovens da paróquia.

'Regresso a CASA' com segurança

Conheça o que é preciso para o 'Regresso a CASA' com segurança.

Publicado por Paróquia de Nossa Senhora do Amparo de Benfica em Quarta-feira, 27 de maio de 2020

Com o mote “‘Regresso a casa’ com segurança”, o padre Nuno do Rosário Fernandes explica que neste novo início das celebrações comunitárias das Missas, após mais de dois meses de suspensão por causa da pandemia de Covid-19, os fiéis vão “voltar àquela que é a casa de todos, e primeiro é a casa de Deus”, onde se reúnem “como filhos de Deus, como cristãos”.

“Há este sentido muito familiar, um lugar de encontro, lugar de partilha. Com segurança, porque é necessário que tenhamos sempre presente o que são as normas de segurança que nos são apresentadas e que são necessárias”, acrescentou.

Segundo o pároco de Nossa Senhora do Amparo de Benfica, há pessoas que “entendem melhor” as normas e regras pedidas, e dizem que ‘se é pedido, fazemos’, há outros que “contestam”, por isso, apela “muito ao bom senso”.

Neste contexto, revela que a sua “preocupação” tem sido a “restrição do número de pessoas dentro da igreja”, dado quem em Benfica, “normalmente”, têm 300 pessoas numa Missa, “cerca de 250 sentados”, e, a partir deste sábado só podem estar “70 pessoas sentadas e não vai haver ninguém que fique de pé”.

“Preocupa-me a reação de quem chega e não pode entra. No vídeo apela-se à paciência nesta situação, compreensão para tudo o que estamos a viver, precisamos de gerir muitos sentimentos e sensibilidades”, sublinhou o padre Nuno do Rosário Fernandes.

Quando a igreja “encher” vão colocar uma placa com a informação “lotação esgotada”, mas a paróquia não considerou a “possibilidade ter bilhete, uma reserva”.

Para o futuro fica a intenção de “fazer avaliações com frequência e perceber o que será necessário mudar, ajustar”.

O pároco de Nossa Senhora do Amparo de Benfica adianta também que “os horários mudaram apenas no agendamento”, numa paróquia que “em situação normal tem 11 Eucaristias dominicais”, contando com as celebrações na igreja de Nossa Senhora das Descobertas, no Centro Comercial Colombo, que “vai abrir a 1 de junho apenas para oração, durante a semana”.

A paróquia criou “um banco de voluntários” para ter equipas a acolher os fiéis, “antes das celebrações são quatro pessoas na rua a acolher e outras na parte logística de indicar os lugares.

Para as famílias “há bancos” reservados e “os voluntários vão estar atentos a isso”, bem como à desinfeção das mãos e do calçado na entrada da igreja.

“Apelamos que as pessoas tragam máscara, mas temos possibilidade de solucionar para que não volte para casa”, explicou, adiantando que tiveram “a colaboração da junta de freguesia, que disponibilizou algumas”.

As celebrações comunitárias regressam este sábado, vigília de Pentecostes, após mais de dois meses de suspensão, em que se recorreu a um conjunto de transmissões em plataformas digitais.

A Paróquia de Nossa Senhora do Amparo de Benfica vai instalar “um sistema fixo de vídeo” para continuar a transmitir online a celebração de Eucaristias, “e outros momentos”, porque há pessoas que não podem sair de casa e deram “muito de si à paróquia, pessoas que gostam de estar em contacto com a sua paróquia e participar, ver a imagem de Nossa Senhora do Amparo”.

CB/OC

 

Partilhar:
Share