De 24 de Abril a 11 de Maio estará aberta ao público, no átrio da Câmara Municipal do Funchal, uma exposição de trabalhos manuais destinada à angariação de fundos para apoio das Missões onde trabalham as Imãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias. A inauguração oficial será na próxima segunda-feira, às 17 horas; e nos dias seguintes poderá ser visitada entre as 9 e as 20 horas. A exposição resulta do trabalho voluntário de madeirenses que, através da Congregação Franciscana de N.ª S.ª das Vitórias, assim responde ao apelo missionário de Madre Mary Jane Wilson. “Esta mulher, nascida na Índia, educada na Inglaterra, abre-se à Fé Católica em França, peregrina pela Europa e Terra Santa, faz-se Missionária na Madeira, aqui fundou um Instituto religioso (em 1884) e aqui sonhou com o mundo… . Dizia ela com a certeza dos profetas: “Quando formos mais numerosas, Deus nos chamará às terras de África…”. E o sonho concretizou-se a partir de 1938, ano em que embarcaram para Moçambique as primeiras doze Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias (FMNSV)”. Hoje, esta família missionária está presente em 13 países e desenvolve-se através de muitos membros. “A Família Wilsoniana, constituída por consagradas: (Irmãs Franciscanas de Nossa Senhora das Vitórias), vivendo em Comunidade Religiosa, e por leigos (Amigos da Irmã Wilson e Jovens Missionários), sente-se cada vez mais impelida pela urgência de refundar a vida no Absoluto de Deus para poder ser testemunha do Seu Amor solidário para com os homens, principalmente os mais pobres, com quem Cristo faz questão de se identificar (cf.Mt 25, 31-45). Assim fez, no seu tempo, a Serva de Deus, Irmã Maria de S. Francisco Wilson”, explica a organização do evento. A exposição de artesanato, a favor das missões em África de expressão portuguesa e apoiada pelas FMNSV ficará patente ao público durante mais de duas semanas, incluindo o sábado, 29 de Abril. Na Diocese do Funchal, as Irmãs Vitorianas, em correspondência com o seu carisma, desenvolvem um significativo trabalho no ensino e na educação dos jovens, com instituições de referência como o Colégio de Santa Teresinha e o Patronato de Nossa Senhora das Dores, entre muitas outras actividades apostólicas. “Há muitos jovens que, como Francisco de Assis, acreditam no valor da fraternidade universal e, se forem adequadamente estimulados desenvolvem atitudes solidárias, marcadas pelo valor da comunhão com todos, com particular atenção aos mais pobres, seguindo o exemplo da Irmã Wilson”. A próxima exposição simboliza também esta dinâmica, no nosso tempo.

Partilhar:
Share