Francisco esteve com ordinários castrenses e capelães militares de 46 nacionalidades

Cidade do Vaticano, 31 out 2019 (Ecclesia) – O Papa apelou hoje no Vaticano ao respeito pelo Direito Internacional Humanitário em todos os conflitos, assinalando o 70.º aniversário das Convenções de Genebra perante ordinários castrenses e capelães militares de 46 nacionalidades.

“Desejo reafirmar a importância que a Santa Sé atribui ao Direito Internacional Humanitário e expressar a esperança de que as regras que ele contempla sejam respeitadas em todas as circunstâncias. Quando for oportuno, devem ser mais esclarecidas e fortalecidas, especialmente no que diz respeito a conflitos armados não internacionais”, declarou.

Francisco falava aos participantes no Curso Internacional para a Formação de Capelães Militares Católicos, entre os quais o bispo português D. Rui Valério, bispo das Forças Armadas e de Segurança.

O encontro teve como tema ‘A privação da liberdade pessoal no contexto dos conflitos armados. A missão do capelão militar’.

O Papa alertou que, quando se trata de civis, as vítimas podem ter sido sujeitas a sequestros ou desaparecimentos forçados.

“Entre eles, contam-se também inúmeros religiosos e religiosas, dos quais já não se têm notícias ou que pagaram com a vida a sua consagração a Deus e a serviço das pessoas”, indicou.

Francisco lembrou ainda a proteção da dignidade dos presos está prevista no Direito Humanitário Internacional e convidou os ordinários e os capelães militares a não pouparem esforços para que as normas sejam acolhidas “no coração” das pessoas que são confiadas ao seu cuidado pastoral.

OC

Partilhar:
Share