D. José Traquina mostra-se disponível para a «escuta e acompanhamento»

D. José Traquina, Foto Agência Ecclesia/MC

Santarém, 08 mar 2019 (Ecclesia) – O bispo de Santarém orienta um retiro de quaresma aberto a todos os diocesanos, entre hoje e domingo, mostrando-se pronto para a “escuta e o acompanhamento” mas também para ser surpreendido pelos “recados de Deus”.

“Naturalmente, aquele que orienta o retiro é o primeiro a beneficiar dele e eu tive de ler muito; rezo pelas pessoas, faço apontamentos e depois dou espaço para a orientação, um espaço para que o Espírito Santo sopre, e estarei disponível para escutar e acompanhar, porque haverá pessoas que esperam o retiro para desabafar e confessar-se”, explica D. José Traquina à Agência ECCLESIA.

Entre hoje e domingo, são três dias de retiro quaresmal, no centro diocesano de Pastoral de Santarém, numa “proximidade associada ao tempo quaresmal”, em que o prelado espera receber algum novo recado.

“Este tempo surgiu para nos aproximar daquilo que Deus quer, aproximar-nos de Jesus e é favorável nesta busca que nos faz enriquecer a nossa sensibilidade para o que Deus quer… Numa atitude de acolhimento, deus é sempre novo para nos dar novos recados acerca nossa vida, da Igreja e do mundo e num retiro há esse tempo”, refere.

A iniciativa nasceu depois da renovação do grande complexo que a diocese tem, um antigo colégio dos Jesuítas, que foi recuperado e funciona como casa de retiros.

No calendário diocesano, além de recoleções de um dia, houve a proposta de um retiro maior na Quaresma.

“Sugeriram que podia ser o bispo e eu não me pus de fora, é sem esforço da minha parte que vou orientar as pessoas que se inscreverem”, disse.

Quem se inscreveu no retiro vai poder contar com tempos de oração individual e comunitária mas “também celebrações com tempos de animação”.

“Vamos acompanhar Jesus a caminho da sua Páscoa, o sentido da próprio da Quaresma, e a preparação da Páscoa faz-se espiritualmente, e passa para o exterior, a renovação tem de se expressar na nossa maneira de viver e estar. Não pode ser só porque está no calendário mas perceber que é uma oportunidade para Deus nos falar”, considera D. José Traquina.

A Quaresma é um tempo de 40 dias marcado por apelos ao jejum, partilha – a renúncia na Diocese de Santarém vai reverter para as comunidades da Venezuela – e penitência de preparação para a Páscoa, a principal festa do calendário cristão, este ano dia 21 de abril.

SN

Quaresma: E quando o bispo orienta o retiro quaresmal… – Emissão 14-03-2019

Partilhar:
Share