Encontros e orações através de plataformas digitais são propostas para assinalar Dia Internacional

Lisboa, 02 dez 2020 (Ecclesia) –A coordenadora do Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência, da Igreja Católica, defendeu que o “mundo inteiro” devia “criar oportunidades” para estas pessoas.

Numa entrevista ao Programa ECCLESIA, emitido hoje na RTP2, Carmo Diniz realça que a convenção dos direitos das pessoas com deficiência foi escrita em 2006 e Portugal assinou-a no ano seguinte, comprometendo-se a “uma série de ações” que tem cumprido com mais ou menos regularidade.

O Dia Internacional das Pessoas com Deficiência celebra-se a 3 de dezembro e o relatório de 2019 refere que existiram “algumas melhorias, mas pouco investimento”, neste campo.

As pessoas com deficiências precisam de ajuda “para ter acesso à informação ou melhor têm direito à informação”, sublinhou a responsável do serviço nacional da Igreja Católica.

Carmo Diniz exemplifica, sublinhando que “um cego tem de ter informação em braille e um surdo tem de ter informação em língua gestual portuguesa”.

As instituições devem estar despertas para esta realidade porque isto “é um tema da sociedade e não um tema da Igreja”.

“Na Igreja temos outros temas acrescidos que é a vontade muito grande que as pessoas com deficiência façam parte da Igreja e tenham o seu espaço para receber e dar”, acentuou.

A responsável tem um filho “com deficiência profunda” e todos os dias, enquanto família, “têm barreiras e alegrias”.

Para a entrevistada, as pessoas com deficiência “têm um grande dom para dar ao mundo e ensinar o que é a alegria pura”.

Este ano, as celebrações deste dia estão centradas na profecia da fraternidade e Portugal vai participar com exemplos concretos de pessoas com deficiência.

“Uma partilha de experiências no ambiente digital”, disse Carmo Diniz.

O Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência da Igreja Católica em Portugal vai participar no evento internacional ‘A profecia da fraternidade’, esta quinta-feira, com transmissão online.

Evento destinado às pessoas com deficiência e aos familiares, aos religiosos, às dioceses, às associações, às congregações, as estruturas pelas pessoas com deficiência e a cada homem e mulher de boa vontade”, explica o Serviço Nacional para a Pastoral da Pessoa com Deficiência italiano que organiza o encontro internacional online.

Portugal também vai participar, através de um vídeo, que possa mostrar pessoas com deficiência que se tornaram “agentes de mudança e catequistas nesta época de pandemia”, no país ou numa organização.

O evento internacional, entre as 19h00 e as 20h00 (menos uma em Lisboa), conta com uma introdução da irmã Verónica Donatello, diretora do Serviço Nacional da Pastoral das Pessoas com Deficiências da Conferência Episcopal Italiana (CEI), uma mensagem do Papa Francisco, a ‘narração dos continentes: Estamos todos no mesmo barco’ e um momento de oração e reflexão, orientado por Rosanna Virgili, professora, escritora e biblista.

No mesmo dia, o Serviço Nacional da Pastoral das Pessoas com Deficiências da Conferência Episcopal Italiana também dinamiza um evento de âmbito nacional, a partir das 18h00 locais, com a participação do cardeal português D. José Tolentino Mendonça que vai falar sobre ‘Profecia e Fragilidade’.

As duas sessões ‘A profecia da fraternidade’ – o encontro nacional (Itália) e o encontro internacional – podem ser acompanhados pelos meios digitais na página da Conferência Episcopal Italiana na rede social Facebook e no canal YouTube.

O serviço nacional deste setor, em conjunto com os serviços diocesanos, propõe, para o dia 6 de dezembro, um encontro de oração com a participação de pessoas com deficiência.

As novas tecnologias têm sido “muito uteis” para o encontro com pessoas com deficiência porque “tem existido uma comunicação mais próxima”, indica a entrevistada.

PR/LFS

Partilhar:
Share