Iniciativas dos Comités Organizadores abriu caminhos para preparação conjunta

Lisboa, 24 nov 2020 (Ecclesia) – O padre João Quintas, do Comité Organizador Diocesano de Lisboa disse que “os dias 23” servirão para “juntar o passado, o presente e o futuro”, rumo à Jornada Mundial da Juventude, no verão de 2023, em Lisboa.

“Que sintam que são umas Jornadas dos jovens para os jovens, que sejam protagonistas. Estamos a levantar-nos e a partir. As jornadas já começaram. Para aquela semana temos a expetativa que seja um momento de ação de graças, mas as jornadas já começaram e queremos contar com todos”, afirmou o assistente espiritual do Setor da Pastoral da Juventude, no Patriarcado de Lisboa.

A organização das Jornadas Mundiais da Juventude 2023 desafiaram as dioceses portuguesas, através do Comité Organizador Diocesano (COD), para juntarem os jovens em noites de “oração, diálogo, momentos culturais e desportivos, entre outras iniciativas”, a cada dia 23.

Assim aconteceu também no Porto que através da pastoral  juvenil proporcionou um concerto com a interpretação de diversas músicas que congregam os jovens e onde se escutaram alguns hinos de anteriores Jornadas Mundiais da Juventude.

Em Lisboa, alguns jovens juntaram-se na igreja do Parque das Nações, a outros que acompanharam a noite através das plataformas digitais, para uma noite de conversa e música, dando ainda a conhecer alguns rostos da organização das JMJ Lisboa 2023.

Henrique Delfina, que integra a Direção de Logística da JMJ Lisboa 2023, recordou a sua participação na Jornada em Cracóvia, e o seu sonho na viagem de regresso.

“Quando vim de Cracóvia vinha tão contente pelo que tinhas experienciado, que durante a viagem de regresso, eu e um amigo planificamos nos nossos sonhos a JMJ em Lisboa. E hoje estamos aqui a fazer parte deste caminho. Juntamos a capacidade de sonhar com as missões com que Deus nos dá. Cuidado com o que sonham para a vossa vida”, brinca.

Foto: Nuno Rosário Fernandes

Joana Geraldes Barba, que integra a direção de atendimento e voluntariado JMJ 2023, dá conta da tarefa de acolher pessoas que vivem a fé de forma diversa.

“Preparar as jornadas é uma dimensão completamente diferente do que tenho feito. Estamos a pensar no mundo inteiro, pessoas diferentes que vivem a fé de forma diversa, é uma responsabilidade grande de preparação passo a passo até 2023. Uma alegria e um compromisso enorme”, explicou.

De acordo com a organização da JMJ Lisboa 2023, que acompanha as iniciativas em cada diocese, o COD de Angra “criou o desafio «Mês a mês … até 23» e identificou, em cada ilha do arquipélago, uma igreja JMJ”.

Em Beja, foi proposta uma noite de oração; em Viseu, os jovens juntaram-se na celebração de uma missa, emitida no canal youtube da Pastoral da Juventude Diocese de Viseu ; em Bragança o convite, através da iniciativa «23 a caminho», foi também de oração.

Em Coimbra, a proposta foi também de oração, na Sé Velha, com transmissão digital.

O COD de Évora sugere que se acompanhe as entrevistas que a cada dia 23 serão realizadas.

Na Guarda os jovens estão a ser congregados para o fim-de-semana de 28 e 29, para junto com o bispo D. Manuel Felício abrirem as portas do caminho para a JMJ Lisboa 2023.

Já em Lamego são convidados a participar na iniciativa “Paragem 23”.

Se em outubro o convite era para escutar o concerto do grupo «Estrela Polar», a última paragem convidou os jovens a rezar, numa oração orientada pelo Grupo de Jovens Luz do Mundo, de Tarouquela.

Em Portalegre-Castelo Branco, a proposta “Take 23” convida os jovens a integrarem o projeto “Adota um avô Natal”.

LS

Partilhar:
Share