Fátima Almeida inaugurou ciclo de conferências promovida pela LOC/MTC de Braga

Braga, 21 abr 2021 (Ecclesia) – A copresidente do Movimento Mundial de Trabalhadores Cristãos (MMTC) afirmou cada vez mais jovens e adultos “engrossam” o número de trabalhadores do “precariado”.

Fátima Almeia falava na abertura da semana temática da Liga Operária Católica/Movimento de Trabalhadores Cristãos (LOC/MTC) de Braga, que se iniciou esta segunda-feira e decorre até 23 de abril.

A responsável evocou todos os que integram um grupo social, ou uma classe social, que trabalha “sem um vínculo laboral permanente ou estável, como empregos incertos e inseguros, sem contratos de trabalho efetivos”.

A copresidente do MMTC referiu que este conceito de olhar a realidade do trabalho e dos trabalhadores começou a ser estudado e investigado a partir da década de 80 do século XX.

“Hoje, somos impelidos a saber discernir, em desenvolver espírito critico e interpelativo, a partir das nossas convicções humanas e cristãs; saber distinguir bem entre o projeto de salvação de Deus, centrado na dignidade e na humanização, contrapondo com modelos promotores de exclusão, de descarte, de precariedade laboral”, lê-se na nota enviada à Agência ECCLESIA pela LOC/MTC de Braga.

A semana temática aborda a questão do “precariado e as suas implicações na vida das pessoas”.

A reflexão continua hoje, com Ulisses Garrido, antigo dirigente do Movimento Católico de Estudantes (MCE), da CGTP e da CES – Confederação Europeia de Sindicatos, que vai falar sobre ‘Empresas fantasmas e subcontratação’, a partir das 21h00.

A semana temática vai terminar na sexta-feira, com  uma comunicação sobre o ‘Teletrabalho e suas implicações na vida familiar’, por Custódio Oliveira, antigo dirigente nacional da Juventude Operária Católica (JOC), atual diretor-geral da empresa de comunicação OMNISINAL e professor universitário, também a partir das 21h00.

CB/OC

Partilhar:
Share