D. Edgar Peña Parra afirmou que o Papa «sonha» com esta Jornada Mundial

Foto: Arlindo Homem/Agência Ecclesia

Lisboa, 12 mai 2022 (Ecclesia) – O substituto da Secretaria de Estado do Vaticano presidiu hoje à inauguração e bênção da nova sede da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) em Lisboa, e destacou que o Papa Francisco está “muito interessado” nesse encontro, em agosto de 2023.

“O Santo Padre sonha a Igreja, com os seus pastores, esperando vivamente que os jovens acolham o convite para vir a Lisboa. Sonhais vós, mais diretamente envolvidos na organização, que tendes dado o melhor para esta jornada, a medida das expetativas melhores da Igreja e da sociedade”, disse D. Edgar Peña Parra, esta manhã, na sede da JMJ Lisboa 2023, na antiga manutenção militar do Beato.

O arcebispo venezuelano assinalou que também “sonham” os jovens que “anseiam” em reunir-se em Lisboa, “partilhando a alegria de fé com os seus coetâneos do mundo inteiro”.

Segundo o substituto da Secretaria de Estado do Vaticano, a terceira pessoa na hierarquia da Santa Sé, o Papa “sonha” com a Jornada Mundial da Juventude e “está muito interessado” na edição internacional que Portugal vai acolher de 1 a 6 de agosto de 2023.

Neste contexto, afirmou que Francisco “não se cansa de procurar encontrar os jovens”, e, mesmo com o problema no joelho que o limita atualmente, “está muito perto dos jovens”.

“É com grande alegria que me encontro no local que acolhe, desde há pouco, a sede operativa onde é pensada, planeada, organizada, e também, atrevo-me a dizer, rezada, porque temos uma bela capela, a Jornada Mundial da Juventude, que terá lugar em Lisboa no próximo ano”.

O substituto da Secretaria de Estado do Vaticano destacou que o trabalho de preparação precisa “não só sabedoria e competência”, mas também de “espírito de entreajuda, colaboração leal, fortaleza e espirito de sacrifício”.

“O mesmo requer agora, nesta missão que vos está confiada: a verdadeira sabedoria que provém principalmente, exclusivamente, de Deus, para se conseguir planear tudo com realismo e eficácia”, acrescentou, sublinhando a importância do “espírito de entreajuda” para “planear e organizar tão complexo momento para a história de Portugal e para a história da Igreja”.

D. Edgar Peña Parra salientou que, “neste momento especial, depois de uma pandemia, e no meio de uma guerra”, os desafios são muitos e têm de “trabalhar juntos”, uma “colaboração leal entre todos”.

“Cada vez que a pessoa humana tem na frente um objetivo importante, histórico, e transcendental encontra dificuldades, muitas. Mas com a perseverança, com a constância, e com a fé, podemos ir para a frente”, observou o arcebispo venezuelano.

O responsável católico revelou também que no livro dos visitantes colocou “nas mãos de João Paulo II estas jornadas e todos os que colaboram”, lembrando que há 40 anos o Papa polaco iniciava a sua primeira viagem a Portugal.

“Ele amou muito Portugal e tinha um amor extraordinário pela virgem de Fátima. Peço a Nossa Senhora mãe de Jesus, Nossa Senhora de Fátima, e aos santos patronos das jornadas, que vos acompanhem neste caminho rumo à Jornada Mundial da Juventude em Portugal”, concluiu D. Edgar Peña Parra, que vai presidir à Peregrinação Internacional Aniversária de 13 de maio, no Santuário de Fátima.

TAM/CB/OC

Inauguração e bênção da sede da JMJ Lisboa 2023 por D. Edgar Peña Parra
Partilhar:
Share