Responsáveis foram bispos de Braga

Fátima, 14 nov 2019 (Ecclesia) – A Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) anunciou hoje que vai propor a declaração como doutores da Igreja de São Bartolomeu dos Mártires e São Martinho de Dume, bispos de Braga nos séculos XVI e VI, respetivamente.

“A Assembleia aprovou a proposta para que se inicie o processo das causas de declaração de São Bartolomeu dos Mártires e São Martinho de Dume como Doutores”, refere o documento conclusivo da reunião magna dos bispos católicos, que decorreu desde segunda-feira, em Fátima.

D. Manuel Clemente explicou que a proposta tinha de passar pela conferência episcopal, falando em “belíssimos autores cristãos”.

“Temos muito a aprender com eles”, declarou aos jornalistas, no final da Assembleia Plenária, em conferência de imprensa.

Um ‘doutor’ é alguém reconhecido pela Igreja Católica como exemplo de “santidade de vida, ortodoxia doutrinal e ciência sagrada”; o título foi atribuído a Santo António de Lisboa pelo Papa Pio XII, em 1946.

São Bartolomeu dos Mártires, novo santo português, pode vir a ser declarado doutor da Igreja devido aos seus escritos com “profundidade doutrinal”.

“Pelos seus escritos que foram estudados merecem que seja declarado doutor da igreja, da minha parte irei fazer tudo para que possa acontecer efetivamente os seus escritos não são ocasionais nem de circunstâncias, são escritos com uma profundidade doutrinal e não apenas doutrinal mas com uma atualidade impressionante, escritos para ontem mas também para hoje e para sempre”, disse D. Jorge Ortiga, arcebispo de Braga, em declarações à Agência Ecclesia.

Também o bispo de Viana do Castelo aponta a atualidade da mensagem do arcebispo português.

“Teve sempre a preocupação de ter uma linguagem aberta às necessidades do povo em concreto, agora que ele deixou uma obra que, a nosso ver merece ser declarado doutor da igreja, isso não tenho dúvidas”, refere D. Anacleto Oliveira.

O arcebispo português, que se afirmou como uma das vozes de referência no Concílio de Trento (1543 – 1563), foi declarado venerável a 23 de março de 1845, pelo Papa Gregório XVI, e beatificado a 4 de novembro de 2001, pelo Papa João Paulo II.

O anúncio da canonização de Frei Bartolomeu dos Mártires aconteceu a 6 de julho deste ano; no texto publicado pela Sala de Imprensa da Santa Sé refere-se que o Papa Francisco “aprovou os votos favoráveis” dos membros da Congregação para as Causas dos Santos e estendeu o culto litúrgico em honra ao arcebispo português a toda a Igreja, “inscrevendo-o no livro dos santos” por “canonização equipolente” (dispensando o milagre requerido após a beatificação).

No último sábado e domingo, as dioceses de Viana e de Braga acolheram celebrações de ações de graças pela canonização.

São Martinho de Dume nasceu no princípio do século VI; veio para a Galiza cerca do ano 550, onde converteu os suevos à fé católica, fixando-se em Dume; em 569 passou a ser bispo metropolita de Braga, de que é hoje padroeiro principal.

O santo que viveu no atual território português destacou-se pela sua luta em favor da erradicação de práticas pagãs, nas comunidades católicas; entre as suas obras, salienta-se o “De correctione rusticorum”, que denuncia as superstições do paganismo.

OC

Partilhar:
Share