«A indulgência plenária insere-nos na esperança de viver da graça de Deus por meio da Igreja» – Padre César Maciel

Arcos de Valdevez, 19 ago 2020 (Ecclesia) – O reitor do Santuário de Nossa Senhora da Peneda disse hoje que a indulgência plenária, concedida pelo Papa Francisco nos 800 deste culto mariano, insere os fiéis “na esperança de viver da graça de Deus por meio da Igreja”.

“Ao mesmo tempo que nos ajuda a ser mais Igreja na relação com o Santo Padre. Ajuda-nos a perceber a graça que somos e a misericórdia de que precisamos enquanto Igreja peregrina em qualquer canto do mundo”, acrescentou o padre César Maciel em declarações à Agência ECCLESIA.

A Penitenciaria Apostólica, “por mandato de Sua Santidade o Papa Francisco”, “concede a Indulgência Plenária aos fiéis cristãos” que, em espírito de verdadeira penitência e movidos pela caridade, a fim de usufruírem do jubileu e o poderem aplicar também em sufrágio pelas almas do Purgatório, acorrerem, em peregrinação ao Santuário de Nossa Senhora da Peneda”, no Arciprestado de Arcos de Valdevez.

Segundo o documento enviado pela Santa Sé, a ‘indulgência plenária’ aplica-se de acordo com as “condições normais” – confissão sacramental, comunhão eucarística e oração pelas intenções do Sumo Pontífice – a quem celebre no santuário da Diocese de Viana do Castelo “os ritos jubilares ou, na mesma ocasião, elevarem humildes preces a Deus pela fidelidade à vocação cristã, pelo incremento das vocações sacerdotais e religiosas, bem como pela fidelidade das famílias cristãs, concluindo as mesmas com a Oração Dominical, o Símbolo da Fé e a invocação da Santíssima Virgem Maria”.

“A indulgência plenária insere-nos na esperança de viver da graça de Deus por meio da Igreja”, acrescentou o reitor do Santuário de Nossa Senhora da Peneda, sobre a indulgência plenária concedida de 5 de agosto até ao próximo dia 8 de setembro.

A Penitenciaria Apostólica informa também que os fiéis que se encontrem impedidos de peregrinar ao santuário mariano, por causa da idade avançada, por doença ou por outra causa grave, “poderão, de igual modo”, receber a Indulgência Plenária cumprindo “logo que possível, as três condições habituais”, e se reunirem “espiritualmente às celebrações deste aniversário”.

O Santuário de Nossa Senhora Peneda está a celebrar 800 anos de culto este ano, segundo a memória da aparição, a 5 de agosto de 1220, Nossa Senhora apareceu a uma pastorinha pedindo-lhe para construir uma ermida.

“Celebrar 800 anos é uma oportunidade de memória e de esperança. Fazemos memória e criamos esperança”, destacou o padre César Maciel.

O bispo de Viana do Castelo, D. Anacleto Oliveira, que elevou o templo da Senhora da Peneda a santuário diocesano, em abril deste ano, no dia 5 de agosto presidiu à abertura da porta jubilar do santuário, e vai também presidir também à Eucaristia neste local no dia 8 de setembro, a partir das 11h00.

Segundo o reitor do santuário mariano “uma porta aberta é sinal de acolhimento” e quiseram “abrir uma porta que acolhe na casa de Maria”.

“Maria é a porta que leva a Cristo – Rei misericordioso. Maria acolhe, abraça e convida a entrar cada pessoa e cada família. Esteticamente Maria abraça com o seu manto e cada um sente-se refletido nela. Cada peregrino entra na porta e é porta na medida em que se sente acolhido e se vê refletido nela”, desenvolveu.

O santuário de Nossa Senhora da Peneda, na Paróquia do Divino Salvador da Gavieira, no Arciprestado de Arcos de Valdevez, está no Parque Natural Peneda-Gerês, no alto-minho, e o padre César Maciel destaca que “o manto de Maria é verde, um verde esperança”, e, ao mesmo tempo, “um verde natureza que na Peneda tudo envolve”.

“Esta Porta Santa é um convite ao júbilo, ao perdão, à misericórdia, mas também à harmonia entre Deus e o ser humano, entre seres humanos, entre Deus, o humano e a natureza”, concluiu o reitor.

CB

 

Igreja: Santuário da Nossa Senhora da Peneda, a riqueza patrimonial aliada à natureza (c/vídeo)

Partilhar:
Share