«Sentimos na íntegra a Laudato Si», afirma o padre César Maciel, reitor do santuário que está a celebrar 800 anos de culto

Foto: Diocese de Viana do Castelo

Arcos de Valdevez, 18 ago 2020 (Ecclesia) – O reitor do Santuário da Senhora da Peneda, na Diocese de Viana do Castelo, afirma que se sente “na íntegra a Laudato Si”, a encíclica ecológica e social do Papa Francisco, neste espaço na Gavieira, no Alto-Minho.

“Estamos num espaço de preservação da natureza, ao mesmo tempo é este convite a que através das criaturas, através da natureza possamos chegar ao criador. Isso é uma das imagens e uma das mensagens muito presentes pela sua envolvência e que também procuramos aprofundar”, disse o padre César Maciel, em declarações à Agência ECCLESIA, no Parque Nacional Peneda-Gerês.

O reitor do Santuário da Senhora da Peneda assinala que são necessários “momentos de paragem, de introspeção”, de encontro com Deus para “poder renascer” e se as pessoas fizerem “essa leitura com as estações do ano e com esse ambiente” que têm na Gavieira existem “mais do que motivos” para visitar o santuário da Diocese de Viana do Castelo que está a celebrar 800 anos de culto “todo o ano”, uma vez que “a qualquer momento a paisagem é distinta”.

No programa Ecclesia, transmitido esta tarde na RTP2, o padre César Maciel explica que “segundo a memória da aparição”, a 5 de agosto de 1220, “Nossa Senhora aparece a uma pastorinha pedindo-lhe para construir uma ermida” e é essa data que estão a celebrar.

“Estamos em 2020, faz 800 anos, mas queremos ao lembrar esta data, lembrar que este espaço é sagrado, é dedicado a Maria, é dedicado a Deus, há muito tempo, que ainda hoje pode ser perfeitamente lugar de encontro com Deus e é essa proposta”, acrescenta.

O reitor do santuário do Alto Minho, na Paróquia do Divino Salvador da Gavieira, no Arciprestado de Arcos de Valdevez, salientou que “só a fé pode mover tanta pedra, tanta terra” uma vez que foi preciso levar tudo “às costas, não havia estrada nenhuma”.

“A estrada não tem 100 anos, o santuário construiu a maioria das pontes que passava por cima dos regatos para que os peregrinos pudessem chegar aqui. Existem estradas calçadas em pedras grandes no meio da montanha construídas pelo santuário e pelas pessoas”, contextualizou.

Em declarações à Agência ECCLESIA, Nuno Soares, responsável pela área da Cultura na Câmara Municipal de Arcos de Valdevez, assinala que quando se fala do património do Santuário da Senhora da Peneda é do que as pessoas “hoje conhecem, como um património eminentemente religioso”, mas salienta, “numa viagem no tempo”, para além do “cariz religioso com a aparição da Nossa Senhora das Neves à pastorinha”, que “o homem começa a marcar este território” cinco mil anos antes de Cristo.

“Muito perto temos uma necrópole megalítica, do final período do neolítico; o maior santuário de arte rupestre do noroeste peninsular está no Concelho de arcos de Valdevez, o Gião. Começamos a ver o homem a marcar de forma metafisica este espaço”, desenvolveu, acrescentando que na Idade média “passa a ser local nevrálgico de comunicação”, com a presença dos monges da Ordem de Cister que vão “de alguma forma revolucionar a comunicação”.

Nuno Soares realçou que o “monumento é o global”, isto é, tem importância pelo seu todo, o património edificado e o natural, e destaca que “as pessoas sentem-se atraídas” por este local, sejam ou não religiosas e mesmo que “tenham outros credos”.

O padre César Maciel explica que o Santuário da Senhora da Peneda “não parou no tempo” e “foi procurando crescer, dando resposta á fé, alimentando a fé, fazendo catequese”, e criou também alojamento para que os peregrinos pudessem ir e ficar.

O programa Ecclesia, transmitido esta tarde na RTP2, começou a sua viagem no alto-minho no secular mas recuperado Santuário de São Bento do Cando.

O reitor do Santuário da Senhora da Peneda, na Diocese de Viana do Castelo, destaca que estão em pleno Parque Nacional Peneda-Gerês e “tudo é ambiente”, onde a cultura popular, a arquitetura popular, a arquitetura religiosa, “povoam todo o imaginário, toda a paisagem e se conjugam em harmonia constante”.

LFS/CB

 

Foto DR

O bispo de Viana do Castelo elevou o templo da Senhora da Peneda a santuário diocesano, em abril deste ano, e no dia 5 de agosto presidiu à abertura da porta jubilar do santuário.

D. Anacleto Oliveira vai presidir também à Eucaristia neste santuário, a partir das 11h00, no dia 8 de setembro.

No contexto dos 800 anos de culto, a Confraria da Senhora da Peneda informou que os fiéis, peregrinos e visitantes, podem ver uma cronologia do Santuário de Nossa Senhora da Peneda e espaços envolventes, de 1220 a 2020; Durante este mês vão celebrar a Eucaristia às 12h00, após “um tempo dedicado à reconciliação”, e estão também previstas iniciativas de âmbito cultural, como a inauguração de um espaço informativo e interativo para promover o concelho, realizadas pelo Comissariado para a Confraria e do Município de Arcos de Valdevez.

 

Viana do Castelo: Templo da Senhora da Peneda elevado a santuário diocesano

Partilhar:
Share