«A grande riqueza deste livro é que não procura dizer o último grito da ciência, mas procura simplesmente partilhar aquilo que são as vivências deste tempo» – Bispo do Funchal

Foto Duarte Gomes/Jornal da Madeira

Funchal, 19 ago 2020 (Ecclesia) – O padre Aires Gameiro afirmou que o tempo de confinamento foi “um período rico, espiritualmente falando” onde publicou artigos, deu entrevistas e recebeu mensagens que partilha no seu novo livro intitulado ‘Mensagens de Quarentenas «Covid-19»’.

“Um livro interativo, de colaboração com todos aqueles que foram respondendo a mensagens e a pequenos artigos que fui escrevendo durante a quarentena, quando não tinha muito que fazer e tinha de estar mesmo no quarto, confinado”, explicou o sacerdote da congregação da Ordem Hospitaleira de S. João de Deus, segundo informação enviada à Agência ECCLESIA, publicada no ‘Jornal da Madeira’.

No lançamento de ‘Mensagens de Quarentenas «Covid-19»’, o padre Aires Gameiro disse que passou “muito bem” os dias de confinamento, também graças aos contactos que foi mantendo e que foram um estímulo viver.

O bispo do Funchal disse que a nova publicação “mostra muito aquilo que é o padre Aires”: “Um homem irrequieto, que mesmo no confinamento, consegue andar por meio mundo.

“A grande riqueza deste livro é que não procura dizer o último grito da ciência, mas procura simplesmente partilhar aquilo que são as vivências deste tempo, com toda humildade, mas com toda a ousadia com que o padre Aires nos tem habituado, em primeira pessoa, sem os respeitos humanos, ou seja, aquilo que nós auto censuramos e assim, como crente”, desenvolveu D. Nuno Brás, que escreveu o prefácio destas ‘Mensagens de Quarentenas «Covid-19»’.

O bispo do Funchal recordou alguns episódios da história, como a queda do Muro de Berlim e o ataque às Torres Gémeas, que deram a “perceção” que se estava “a entrar num mundo novo”, a mesma perceção que se tem neste momento com a pandemia do novo coronavírus Covid-19.

“Serão publicados muitos outros livros sobre este que será o tempo que marcará a história, poucos serão aqueles que têm a coragem de partilhar esta maneira, em primeira pessoa, como viveram o confinamento”, afirmou D. Nuno Brás sobre a obra do padre Aires Gameiro, formado em Teologia e em Psicologia, com doutoramento em Teologia Pastoral da Saúde.

Graça Alves, que apresentou o novo livro, realçou que ‘Mensagens de Quarentenas «Covid-19»’, do padre Aires Gameiro, “contém um conjunto de textos que refletem um tempo” que não se pensava viver, “um tempo que marcará para sempre a história da humanidade”.

“Vejo, deste modo, esta obra: de um lado, o olhar sobre o tempo, sobre este tempo que nos parou a todos; por outro, o olhar de dentro, aquele que se usa, quando se escreve um diário”, explicou, referindo que o livro é composto por quatro partes: Artigos, Entrevistas, Poemas, Visitas Virtuais e Mensagens interativas da minha quarentena.

‘Mensagens de Quarentena’ é uma publicação da Paulinas Editora e o ‘Jornal da Madeira’ informa que na apresentação foram declamados poemas do novo livro e interpretadas algumas árias de Flauta, no dia 13 de agosto, na Sala do Secretariado Diocesano da Catequese do Funchal.

CB

Partilhar:
Share