«O Vasco mostrou-nos que a vida tem sentido e valor até ao último momento», afirma o presidente da CNJP, Pedro Vaz Patto

Foto: Leigos para o Desenvolvimento

Lisboa, 04 jul 2022 (Ecclesia) – Faleceu Vasco Mina, vogal da Comissão Nacional Justiça e Paz (CNJP), membro do grupo «Ao 3º dia» e um dos fundadores da organização não-governamental para o desenvolvimento, Leigos para o Desenvolvimento.

“Nem sempre é fácil encontrar um sentido para a doença e para o sofrimento. Quando há quem pense em responder com a antecipação da morte para a suposta falta de sentido da doença, o Vasco mostrou-nos que a vida tem sentido e valor até ao último momento. Pela forma como viveu a sua doença e os últimos momentos da sua vida, deu-nos um testemunho talvez mais eloquente e frutuoso do que muitas outras meritórias facetas da sua vida, sempre marcadas pelo amor a Deus e ao próximo”, escreveu o presidente da CNJP, Pedro Vaz Patto, em declarações enviadas hoje à Agência Ecclesia.

O responsável dá conta da partilha que Vasco Mina fez “junto de um grupo dos seus numerosos amigos” sobre a evolução da sua doença, “descrevendo com minúcia os tratamentos, confiando plenamente na ciência médica e sem nunca perder a esperança de cura”: “Mas depois de esgotados todos os esforços, deles e dos seus médicos, verificou que nada mais havia a esperar da ciência e comunicou a todos os seus amigos que se aproximava da «última estação do comboio»”.

“Durante esse período, dinamizou o grupo «Ao 3º dia», um grupo de interajuda e comunhão de experiências entre pessoas atingidas por doenças graves. O que tal grupo procura é, como ele afirmou, encontrar uma luz e um sentido para essas doenças”, esclarece

A ONGD Leigos para o Desenvolvimento assinala os “36 anos” de história partilhada com Vasco Mina, que era atualmente Presidente da Mesa da Assembleia Geral.

“O Vasco foi ao longo dos 36 anos da nossa história uma presença constante, acompanhando sempre com uma dedicação, entrega e amor, verdadeiramente inspiradores, o caminho dos LD. Foi membro da Direção, dinamizou Passeios de Anciãos, os Caminhos Missionários, fez parte da equipa organizadora das comemorações dos 35 anos e era o atual Presidente da Mesa da Assembleia Geral. Cuidou sempre da nossa missão com enorme fidelidade, mesmo nos momentos de maior fragilidade da sua saúde. Foi um exemplo de confiança e fé até ao fim”, pode ler-se na página da organização no facebook.

Pedro Vaz Patto recorda ainda a “igreja repleta” que se juntou para celebrar “os dons recebidos” quando, Vasco Mina disse “aos amigos que nada mais lhe restava do que preparar-se para morrer cristãmente”.

“Convidou todos os seus amigos para uma missa de ação de graças pela sua vida. Perante uma igreja repleta, enumerou todos os dons que havia recebido de Deus ao longo da sua vida, a começar pela família, a esposa e os filhos, e também as riquezas que lhe proporcionaram os seus múltiplos empenhos na Igreja e na sociedade. Quando poderia ser tentado a revoltar-se pela sua morte precoce e por parecer inútil toda a sua árdua luta conta a doença, esqueceu tudo isso e não fez senão agradecer a Deus pela sua vida. Eu nunca tinha visto uma atitude como esta e nunca mais a esquecerei”, afirmou.

A Missa exequial de Vasco Mina está marcada para terça-feira, às 9h30 na Basílica da Estrela, em Lisboa, onde o seu corpo se encontra a partir das 17h de hoje.

LS

Partilhar:
Share