Foto: Santuário de Fátima

Fátima, 21 set 2020 (Ecclesia) – D. Joaquim Mendes, presidente da Comissão Episcopal do Laicado e Família, presidiu este domingo à Missa no Recinto de Oração do Santuário de Fátima, onde alertou para tentações da superioridade e do elitismo.

“A salvação não é uma espécie de recompensa contratual, mas é graça e dom gratuito de Deus, oferecido a todos, sem exceção: tanto aos primeiros como os da última hora. É esta a dádiva desconcertante do Evangelho: Deus dá o Seu Reino aos pecadores, aos pagãos e convida cada um de nós a trabalhar na Sua vinha, porque não nos quer perdidos, nem ociosos, mas comprometidos”, referiu o bispo auxiliar de Lisboa, numa intervenção divulgada pelo site da instituição.

D. Joaquim Mendes lamentou modos de pensar “estreitos, tortuosos e marcados pelo egoísmo, pelo legalismo, pelos interesses pessoais”, a que contrapôs a lógica divina do “amor a todos”.

“Partilhai, de forma gratuita e generosa, com todos os membros da Igreja, a graça recebida no Batismo e empenhai-vos na construção da comunhão e da unidade e no serviço aos mais pobres e necessitados”, apelou.

Ao lembrar a atitude dos fariseus no Evangelho, o prelado alertou para o perigo da “superioridade, do elitismo e de reivindicação de méritos e privilégios”, que impede o reconhecimento igualitário dos “operários da última hora”.

Em contraponto, apresentou a fraternidade e a comunhão cristã como respostas para “uma vida digna, segundo o Evangelho”, atitude que “resgata do vazio e da inércia e nos oferece a plenitude da vida”.

Entre os participantes contou-se uma delegação do Renovamento Carismático Católico, que se reuniu em assembleia em Fátima; estiveram presentes grupos de peregrinos franceses, espanhóis, alemães e norte-americanos.

OC

Partilhar:
Share