Cerimónia recordou os diferentes percursos na missão

Viseu, 18 jul 2018 (Ecclesia) – Os Missionários Combonianos em Portugal celebraram as bodas de ouro sacerdotais de quatro presbíteros, os padres António Martins, Gregório dos Santos, Manuel Anjos e Manuel Horta, no Seminário das Missões, na Diocese de Viseu.

“Formos chamados pela graça de Deus, escolhidos de Deus para uma missão”, disse o padre Manuel Horta na homilia, em nome dos quatro jubilados.

Sobre a sua vocação, o sacerdote recordou que um religioso Comboniano perguntou-lhe na sacristia de Vila Nova de Tazem se queria ser missionário, ao que respondeu: “Não sei bem o que é, mas acho que sim”.

O padre Gregório dos Santos agradeceu aos familiares, amigos, benfeitores e vizinhos que participaram na missa jubilar com “a palavra bem-haja”.

“Obrigado brota do nosso coração ao Pai da messe e a todos os que nos ajudaram ao longo deste tempo”, realçou, recordando missionário Combonianos já falecidos, benfeitores e amigos.

“Que o seu exemplo e alegria de vida atraiam mais jovens para a missão comboniana”, desejam os Combonianos em Portugal.

O superior provincial (responsável nacional) dos missionários presidiu à Eucaristia e informa que a Província ofereceu um crucifixo alusivo às bodas de ouro a cada um dos jubilados, na comemoração realizada no domingo, dia 15 de julho.

O padre José Vieira, no seu blog ‘Jirenna’, contextualiza que os padres António Martins, Gregório dos Santos, Manuel Anjos e Manuel Horta foram ordenados por D. José Pedro da Silva, bispo de Viseu, a 13 de julho de 1968; Com mais três colegas: Um faleceu e dois casaram.

Os quatro “padres de ouro”, acrescenta, têm percursos interessantes: O padre Manuel Horta é administrador da Editorial ‘Além-Mar’ e foi, por exemplo, missionário em Moçambique e provincial de Portugal.

O padre Manuel Anjos viveu quase sempre em Moçambique e agora faz parte do grupo que está a traduzir a Bíblia para cinyungwe, a língua da região moçambicana de Tete.

Já o padre Gregório dos Santos que também foi provincial de Portugal, a missão viveu-a no Brasil; e o padre António Martins, que é capelão da capela da Maia, foi também capelão militar em Angola, durante dois anos, e esteve na paróquia católica mais alta do mundo, a mais de 4000 metros de altitude, em Cerro de Pascom no Peru.

Em 2007, a Congregação dos Missionários Combonianos do Coração de Jesus comemorou 70 anos de presença em Portugal, onde chegaram em 1947, e 150 anos da sua fundação.

O Instituto foi fundado em Verona, Itália, no ano de 1867, por S. Daniel Comboni, primeiro bispo de Cartum, a atual capital do Sudão.

Na altura da efeméride, eram cerca de 1600 missionários e 90 religiosos de origem portuguesa.

CB

Partilhar:
Share