Dia Diocesano da Juventude marcado pela «alegria na vivência da fé»

Coimbra, 22 nov 2021 (Ecclesia) – D. Virgílio Antunes, bispo de Coimbra, participou este domingo na celebração do Dia Diocesano da Juventude, em Pombal, e disse à Agência ECCLESIA que “a onda de entusiasmo está a aumentar” entre as novas gerações de católicos.

“Fui-lhes pedindo, nos encontros que fomos tendo, que fossemos criando uma onda de entusiasmo e alegria, com horizonte da Jornada Mundial da Juventude (JMJ) mas para que os jovens se sentissem Igreja, discípulos a fazer caminho e felizmente devo constatar que isso tem vindo a acontecer”, referiu.

O bispo de Coimbra indicou que o encontro tinha “jovens de todas as partes da diocese, apesar das circunstâncias”, e que a comunicação com os mais novos tem vindo a melhorar.

“A comunicação com os jovens não é a coisa mais simples mas a Igreja tem muitas pessoas, catequistas, animadores, famílias e os jovens a comunicar uns com os outros e penso que esta capacidade de comunicar com os jovens está a crescer até porque eles são abertos a uma multiplicidade de linguagens”, apontou o responsável.

D. Virgílio Antunes salientou ainda que os jovens têm muitas linguagens sendo capazes de “silêncio, do diálogo, da festa, música e dança, do divertimento” e que a Igreja está a “encontrar essas linguagens”.

Foto: Diocese de Coimbra

O pároco de Pombal, padre João Paulo Vaz, anfitrião deste Dia Diocesano da Juventude, destacou a alegria de receber tantos jovens.

“É uma alegria grande receber tantos jovens da diocese, abrir as portas e acolhê-los no mesmo caminho, rumo à JMJ 2023; vamos com todos, é tão bom sentir esta comunhão e alegria”, assume.

O autor da letra do Hino da JMJ Lisboa 2023 referiu ainda que já sente “ a pressa dos jovens de viverem estas coisas e que lhes estava a fazer falta” e que, como sacerdote, só tem “de proporcionar isso e caminhar com eles”.

Também o padre Filipe Diniz, diretor do DNPJ e do Secretariado Diocesano da Pastoral Juvenil – Coimbra marcou presença este domingo e sentiu este encontro como uma “grande manifestação”.

“Eu penso que este tipo de encontros é a manifestação de ser portadores para convidar outros a integrar num grupo de jovens mas depois participar na JMJ, precisamos de dizer um sim verdadeiro”, aponta.

As irmãs Ana e Helena Sousa, membros do Coro Diocesano para a JMJ Lisboa 2023,  participaram deste Dia Diocesano da Juventude e manifestaram a sua alegria, realçando o papel da fé nas suas vidas.

“Este encontro dá um sentimento de grande alegria, sinto-me a brilhar por dentro, tinha de vir para sentir o mesmo espírito de alegria e vivacidade”, afirmou Ana Sousa à Agência ECCLESIA.

A irmã, Helena Sousa, tinha “mais reticências” em participar deste encontro de jovens mas mudou de ideias.

“Não estava muito à vontade para vir para aqui, mas gostei e não quero sair mais; a fé não é só um dia ou outro é um caminho introspetivo, cantar também é integrar a fé”, disse.

A jovem Rita Gama partilhou a sua “alegria de ver tantos jovens juntos, todos unidos por esta fé”.

“Eu acho que os jovens querem sempre mudança em tudo, ideias diferentes mas a Igreja para mim não vai contra os meus ideais e é muito mais do que uma antiguidade e isso nota-se aqui”, contou.

HM/SN

Partilhar:
Share