D. Manuel Clemente destacou «qualidades pessoais e pastorais» do antigo patriarca, que «mantinha e ajudava a manter da verdade cristã»

Foto: Patriarcado de Lisboa

Lisboa, 22 nov 2021 (Ecclesia) – O Patriarcado de Lisboa celebrou este domingo o cinquentenário da entrada do cardeal D. António Ribeiro, com uma Missa presidida por D. Manuel Clemente, o qual evocou o exemplo do antigo patriarca e a sua luta em defesa da “verdade cristã”.

“Mantendo bem vivas na nossa memória tantas qualidades pessoais e pastorais que o ornavam, ressalta decerto a da convicção que mantinha e nos ajudava a manter da verdade cristã, viesse o que viesse”, disse o atual cardeal-patriarca de Lisboa, numa celebração com transmissão online.

“Lembro como insistia em que, além de sinceros, importava sermos verdadeiros”, acrescentou D. Manuel Clemente.

A entrada solene do 15.º patriarca de Lisboa na Sé, D. António Ribeiro, aconteceu no dia 21 de novembro de 1971, dando início a um ministério patriarcal onde “sobrevieram muitas e variadas coisas”.

D. Manuel Clemente recordou que os anos 70 do último século foram caraterizados pela receção do Concílio Vaticano II, que D. António Ribeiro “nunca hesitou em levar por diante, no respeitante à vida eclesial em si mesma e na relação com o mundo”.

“No Patriarcado foram anos de relançamento da formação sacerdotal e de planificação pastoral alargada”, lembra o cardeal-patriarca de Lisboa, que entrou no Seminário dos Olivais em 1973.

Segundo D. Manuel Clemente, os anos 80 foram “muito férteis no campo da pastoral juvenil.

Foto: Patriarcado de Lisboa

No contexto da edição internacional da Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que Lisboa vai acolher de 1 a 6 de agosto de 2023, o responsável destacou que foi ensaiado pelo cardeal António Ribeiro o método de “convocar periodicamente um grande número de jovens para se confirmarem na fé” e celebrarem em uníssono a presença de Cristo neles e para todos.

O patriarca de Lisboa destacou também que “nunca faltou” de D. António Ribeiro “a palavra certa, a lucidez da análise e o testemunho pastoral”, quando na transição para os anos 90 “subiram de tom e mau efeito as propostas fraturantes”, atingindo o âmago da vida de cada um, da conceção à morte natural, e “também no largo campo das necessidades humanas”.

Para esta comemoração também foi preparado o livro ‘O Cardeal Ribeiro com os Jovens – Excertos de comunicações do Cardeal-Patriarca Dom António Ribeiro aos jovens da diocese de Lisboa’.

D. António Ribeiro faleceu no dia 24 de março de 1998, na capital portuguesa; nasceu em S. Clemente de Basto, na Arquidiocese de Braga, a 21 de maio de 1928.

O Programa ‘70×7’ deste domingo, transmitido na RTP2, fez memória do 15.º patriarca de Lisboa com uma emissão dedicada a ‘D. António Ribeiro – A Igreja do concílio e da democracia’.

CB/OC

 

Partilhar:
Share