D. Virgílio Antunes fala em sinal de esperança

Coimbra, 13 set 2020 (Ecclesia) – O bispo de Coimbra assinou hoje o decreto de criação uma nova comunidade cristã na diocese, a “Reitoria (Quase-Paróquia) do Coração Imaculado de Maria”, Eucaristia campal celebrada no terreno da futura igreja do Loreto.

D. Virgílio Antunes disse aos presentes que este era um dia de “alegria”, saudando a “fé e perseverança” de uma população que quer criar “melhores condições” para o anúncio do Evangelho e a prática da caridade.

O responsável admitiu que se vive um momento em que as comunidades cristãs “sentem muita dificuldade em crescer”, pelo que o surgimento desta nova reitoria é visto como um sinal de “esperança”.

O bispo de Coimbra pediu aos participantes que tenham sempre uma particular atenção aos “mais pobres e aos mais frágeis” e que esta nova comunidade não seja simplesmente “uma circunscrição eclesiástica”, mas “sinal vivo” da fé, “aberta a Jesus Cristo e à humanidade que Ele ama”.

A intervenção deixou uma palavra aos mais jovens, “o presente desta comunidade e da Igreja”, destacando em particular os 18 que receberam o Sacramento do Crisma.

“Esta comunidade, porção da Igreja, é a vossa casa”, disse D. Virgílio Antunes.

O padre Francisco Claro, responsável pela nova comunidade cristã, disse à Agência ECCLESIA que “a criação de uma comunidade cristã hoje, edificar uma igreja, é um ato de coragem”.

“Esta criação de uma comunidade vem a contra ciclo, também aqui na diocese onde se vê a aglutinação das paroquias, união de recursos, e por isso criar uma comunidade cristã hoje e edificar uma igreja é um ato de coragem de toda a comunidade, do próprio bispo e de toda a diocese”, referiu.

A nova reitoria compreende as antigas capelanias anexas na zona norte da Paróquia de Santa Cruz de Coimbra (Loreto, Brinca e Monte Formoso), agora desvinculadas desta paróquia e constituídas em Quase-Paróquia.

SN/OC

Especial: Jovens são «base» da nova comunidade cristã na Diocese de Coimbra (c/fotos)

Partilhar:
Share