Instituição Católica sente «vontade, apoio e tem motivação» para continuar a apoiar as vítimas dos fogos

Foto: RR – Incêndios 15 de outubro 2017

Viseu, 17 ago 2018 (Ecclesia) – A Cáritas Diocesana de Viseu informa que tem “cerca de 5.295.23” mil euros para usar em apoios na ajuda às vítimas do incêndio de outubro 2017, num relatório sobre as principais ações na ajuda a “famílias necessitadas”.

“Temos ainda para utilizar cerca de €5.295.23, em apoios cujos processos ainda não estão encerrados”, revela a instituição.

Num artigo publicado hoje, no sítio online da Diocese de Viseu, lê-se que relativamente às importâncias que receberam para “apoiar as vítimas dos incêndios” de 15 e 16 de outubro de 2017, vão “utilizar o total de 533,827.74” mil euros.

Das importâncias disponibilizadas pela Cáritas Portuguesa, Diocese de Viseu, na renúncia quaresmal 2018, e Cáritas Diocesana de Viseu foram investidos 276.98 euros, “na comparticipação da aquisição de árvores para replantar”, em Dardavaz.

Tendo como principal objetivo colaborar na “reconstrução de barracões, anexos a habitações e estábulos”, em obras já terminadas ou ainda em execução, “estão cativas as seguintes importâncias”: €79,593.30 €, beneficiando nove famílias, em Treixedo; €76,385.99, para oito famílias, em S. Joaninho.

Já no concelho de Vouzela, para 20 famílias vão ser utilizados €348. 884.58 €, e em Nagozela a Cáritas disponibilizou 10mil euros, beneficiando duas famílias.

“Relativamente às importâncias que nos foram entregues para apoiar as vítimas dos incêndios iremos utilizar o total de €533,827.74 €”, acrescenta.

A organização assinala que com a ajuda da Embaixada dos Estados Unidos da América, entregaram 20 toneladas de rações para animais em Tondela e 30 em Vouzela, e com a ajuda de alguns amigos usaram “€1,726.00 na aquisição de ovinos”.

A Cáritas de Viseu ficou também “fiel depositária de €20,000.00”, através de um protocolo com a Fundação Montepio e com a Comunidade Intermunicipal Dão-Lafões, que foram “parcialmente utilizados”, por exemplo, para “preservação da raça da famosa vitela de Lafões” e aquisição de bovinos, reconstrução de uma habitação em Ferreirós do Dão, recuperação de tubagens destinadas à condução de água, em Dardavaz, regularização de documentos.

Entre março e junho deste ano, comparticipou ainda em diversos realojamentos de famílias residentes em Vila Nova da Rainha; Regularizou também o pagamento de um internamento numa Unidade de Cuidados Continuados de um residente em Lajeosa do Dão.

Os apoios conseguidos foram destinados à reconstrução de pequenos anexos de habitações, estábulos para animais, reorganização de pequenas hortas, aquisição de animais e outras ajudas que constataram no terreno.

A Cáritas de Diocesana de Viseu informa que com os recursos disponíveis ajudaram também, “algumas das muitas situações mais urgentes”, verificadas nas visitas aos locais afetados onde muitas famílias que, “não tendo sido afetadas pelos incêndios de 15 e 16 de outubro de 2017, “estavam a necessitar de apoio urgentemente: Alimentar, vestuário, medicamentos, dificuldades com a regularização de pagamentos em atraso e alguns casos a viverem em habitações que necessitam de obras muito urgentes”.

O Distrito de Viseu foi a região mais afetada pelos fogos do dia 15 de outubro 2017, em que várias centenas de focos de incêndio causaram pelo menos 45 mortos e 70 feridos, além de elevados danos materiais e ambientais.

CB

Partilhar:
Share