Francisco pediu «liberdade e tranquilidade», evocando festa de Maria Auxiliadora

Foto: Fundação AIS

Cidade do Vaticano, 24 mai 2022 (Ecclesia) – O Papa recordou hoje os católicos na China, evocando as suas “tribulações”, numa mensagem a respeito da festa da padroeira do país, Maria Auxiliadora.

“Maria, Auxílio dos Cristãos, a vós confiamos o caminho dos fiéis na China. Pedimo-vos que apresenteis ao Senhor da história as tribulações e as canseiras, as súplicas e os anseios dos fiéis que a Vós se dirigem, ó Rainha do Céu”, escreveu Francisco, num texto divulgado através da sua conta na rede social Twitter.

No último domingo, desde a janela do apartamento pontifício, o Papa pediu “liberdade e tranquilidade” para as comunidades do país asiático.

“Que a Igreja na China, em liberdade e tranquilidade, possa viver em comunhão efetiva com a Igreja universal e exercitar a sua missão de anúncio do Evangelho a todos, oferecendo assim também um contributo positivo para o progresso espiritual e material da sociedade”, disse, após a recitação da oração do ‘Regina Coeli’, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro.

A intervenção evocou a festa da padroeira da China, particularmente celebrada no Santuário de Nossa Senhora de Sheshan, perto de Xangai, dirigindo-se aos católicos do país.

“Renovo-lhes a certeza da minha proximidade espiritual. Sigo com atenção e participação a vida e vicissitudes de fiéis e pastores, muitas vezes complexas, e rezo por eles todos os dias”, indicou Francisco.

OC

Vaticano: Papa pede «liberdade e tranquilidade» para a Igreja Católica na China

 

Partilhar:
Share