Comissão apresenta propostas culturais online, que complementam a dimensão religiosa

Lisboa, 30 mar 2021 (Ecclesia) – O padre Ricardo Figueiredo, pároco de Óbidos, disse à Agência ECCLESIA que a localidade vive com “intensidade” a preparação para a Páscoa, apesar de, pelo segundo ano consecutivo, celebrar a Semana Santa sem procissões nem multidões.

O padre Ricardo Figueiredo destaca que o regresso da Missa com assembleia – o que não aconteceu na Páscoa de 2020 – motiva ainda mais a comunidade católica para que as “celebrações sejam bem vividas” e que “tenham interioridade”.

A Semana Santa, indica o sacerdote, “não é apenas acompanhar Jesus na Cruz e ficar-se com uma dimensão superficial”, mas “transformar a dor em objeto de salvação”.

As propostas celebrativas e culturais são feitas em parceria com outras entidades de Óbidos (Patriarcado de Lisboa) e a Comissão da Semana Santa é presidida pelo pároco.

A geografia da localidade medieval cria um “ambiente propício” para a vivência destes momentos e é “um postal muito bonito para se viver a Semana Santa”, observa o entrevistado.

Num ano em que, por causa da Covid-19, não são permitidas aglomerações de pessoas, a organização procurou “colmatar o vazio” nas manifestações exteriores, “através da fé”.

O programa tem “nuances religiosas e culturais”, precisou o pároco local, para quem a dimensão parte religiosa “é o cimento que dá forma e conjunto” à vivência da Semana Santa.

Na próxima Sexta-Feira Santa não se realiza “a Procissão do Enterro” e a celebração da Via Sacra será transmitida online.

Ao nível da programação cultural, a comissão tem patente uma exposição online de fotografia ‘Semana Santa nos anos 60’, um vídeo intitulado ‘Lamentação sobre o Cristo Morto de Josefa de Óbidos’ e transmite em formato online obras musicais ligadas à Semana Santa.

As celebrações em Óbidos vão estar em destaque, esta sexta-feira, no Programa ECCLESIA, emitido na RTP2 (15h00).

PR/LFS/OC

Partilhar:
Share