Obra foi apresentada por um condiscípulo do antigo bispo de Setúbal

Porto, 25 fev 2019 (Ecclesia) – O monsenhor José Jorge, condiscípulo de D. Manuel Martins, afirmou que o livro ‘Partilhar é bom’, com alguns textos/pensamentos do primeiro bispo de Setúbal, “é uma respiração de alma”.

“É como respirar a alma, é uma respiração de alma, tem algo de maravilhoso, simples, como uma criança que se volta para sua e se dirige de maneira filial a Deus e vê a vida através do Evangelho e faz do Evangelho a vida dele”, disse o sacerdote em declarações à Agência ECCLESIA.

À margem da apresentação da nova publicação, na igreja dos Clérigos, na Diocese do Porto, o monsenhor José Jorge explicou que ‘Partilhar é bom’ tem textos e pensamentos das “reflexões, da vida pessoal, da vida comunitária, da vida de bispo,” de D. Manuel Martins.

“Ele teve belíssimas oportunidades de lhe manifestar o que ia na alma; Este livro não é propriamente de leitura, é um livro de meditação, livro de interiorização, de exercício de fé”, acrescentou o padre da Diocese do Porto.

O monsenhor José Jorge, que foi condiscípulo do bispo sadino no seminário, revela que “sempre” se encontraram, “cada dia, nas preocupações académicas e espirituais, e culturais”.

D. Manuel da Silva Martins – nasceu em Matosinhos (Porto) a 20 de janeiro de 1927 e faleceu na Maia (Porto) a 24 de setembro de 2017 – foi o primeiro bispo de Setúbal entre 1975 e 1998.

‘Partilhar é bom’, livro conta com a chancela da Paulinas Editora, foi apresentado na igreja dos Clérigos este sábado, numa sessão presidida pelo presidente da Irmandade dos Clérigos, padre Américo Aguiar, e com um momento musical pelo Coro Gregoriano do Porto e pelo Orfeão Vox Caeli de Cantanhede.

PR/CB

Partilhar:
Share