Marcelo Rebelo de Sousa manifesta «regozijo» pela nomeação de responsável português como prefeito do Dicastério para a Cultura e Educação

Foto Arlindo Homem/AE, Cardeal D. José Tolentino Mendonça

Lisboa, 26 set 2022 (Ecclesia) – O presidente da República Portuguesa manifestou hoje “profundo regozijo” pela nomeação de D. José Tolentino de Mendonça como prefeito do Dicastério para a Cultura e Educação, da Santa Sé.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, a escolha do Papa representa “o reconhecimento do homem com um exemplar percurso de fé e vulto maior da cultura contemporânea, promovendo sempre o diálogo com a densidade espiritual, intelectual e humana por todos testemunhado”.

“Como amigo e admirador de longos anos, o presidente da República apresenta calorosos cumprimentos e destaca o permanente ‘facilitador de encontros’, como D. Tolentino de Mendonça se definiu”, acrescenta a nota, divulgada pelo site da Presidência.

O chefe de Estado deseja “as maiores venturas para o exercício de tão relevantes funções” ao cardeal madeirense, “em seu próprio nome e em nome de todos os portugueses”.

Já o presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, José Manuel Rodrigues, reagiu em comunicado, assumindo “profundo júbilo” por esta nomeação.

“Esta Diocese que já foi a maior do Mundo, volta a ter um dos seus numa Missão relevantíssima para uma Igreja que se procura regenerar, rejuvenescer e ir ao encontro de novas realidades, de outras crenças e de diferentes culturas”, começa por referir na sua mensagem de congratulação.

“Os seus diálogos com o mundo da Cultura e das Artes, em Portugal, abriram novos caminhos à Igreja Católica portuguesa. Estou certo de que a experiência do cardeal madeirense irá ter reflexos na rede escolar católica do mundo inteiro que vai tutelar, e que representa mais de 70 milhões de alunos”, acrescenta José Manuel Rodrigues.

Para o presidente do Parlamento Regional da Madeira, “a nomeação de D. José Tolentino Mendonça é o reconhecimento de uma personalidade ímpar e a expressão real da Cultura do Encontro de que tanto fala o Papa Francisco”.

José Manuel Rodrigues desejou ao cardeal madeirense “as maiores felicidades na direção do Dicastério e na continuidade do trabalho em prol da Igreja Católica”.

O Dicastério para a Cultura e a Educação é um novo organismo, que surge da reforma da Cúria Romana, promovida por Francisco, assumindo as missões anteriormente confiadas à Congregação para a Educação Católica e ao Conselho Pontifício para a Cultura.

O organismo nasceu com a publicação da constituição apostólica “Praedicate Evangelium”, a 19 de março deste ano.

O Dicastério é “formado pela secção para a Cultura, dedicada à promoção da cultura, à animação pastoral e à valorização do património cultural, e pela secção para a Educação, que desenvolve os princípios fundamentais da educação com referência às escolas, Institutos superiores de estudos e pesquisas católicos e eclesiásticos e é competente para os apelos hierárquicos em tais matérias”.

A 26 de junho de 2018, o Papa tinha nomeado D. José Tolentino Mendonça como arquivista do Arquivo Secreto do Vaticano e bibliotecário da Biblioteca Apostólica, elevando-o à dignidade de arcebispo; o até então vice-reitor da Universidade Católica Portuguesa orientou nesse ano o retiro de Quaresma do Papa Francisco e seus mais diretos colaboradores.

D. José Tolentino Mendonça nasceu em Machico (Diocese do Funchal) em 1965 e foi ordenado padre em 1990 e bispo a 28 de julho de 2018; é doutorado em Teologia Bíblica, tendo desempenhado, entre outras funções, os cargos de reitor do Colégio Pontifício Português, em Roma, de diretor da Faculdade de Teologia da UCP e diretor do Secretariado Nacional da Pastoral da Cultura.

Foi criado cardeal pelo Papa Francisco, a 5 de outubro de 2019.

Biblista, investigador, poeta e ensaísta, Tolentino Mendonça foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem de Sant’lago da Espada por Aníbal Cavaco Silva, presidente da República, em 2015.

O portal de notícias do Vaticano destaca que o cardeal português “publicou inúmeros volumes e artigos nos campos teológico e exegético, bem como várias obras poéticas, valendo-se da também linguagem literária e filosófica”.

Em dezembro de 2019, D. José Tolentino Mendonça tornou-se a sétima personalidade a receber a Medalha de Mérito da Região Autónoma da Madeira, numa cerimónia que decorreu na Assembleia Regional.

Marcelo Rebelo de Sousa escolheu-o como presidente da Comissão Organizadora das Comemorações do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades Portuguesas 2020.

OC

Vaticano: Conferência Episcopal Portuguesa elogia «dedicação, saber e competência» do Cardeal Tolentino Mendonça

 

Partilhar:
Share