«Ao deslocarem-se não devem perder a vivência espiritual e temos de ser capazes de lhes dar esse alimento, integrando-os» – Padre Norberto Brum

Angra do Heroísmo, Açores, 26 set 2022 (Ecclesia) – O novo coordenador do Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Universitária de Angra afirmou que o desafio é o mesmo de sempre, “da espiritualidade”, “dar sentido” à vida académica, embora “os tempos sejam outros e as pessoas estejam diferentes”.

“Vivemos novos tempos mas o grande desafio continua a ser o desafio da espiritualidade, dar sentido a esta ciência que os jovens estudam na universidade”, disse o padre Norberto Brum, ao portal diocesano ‘Igreja Açores’.

O sacerdote, que iniciou o Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Universitária de Angra, regressou à sua coordenação, e observa que os tempos são “outros e as pessoas diferentes”.

“Uma das preocupações é com os jovens de outras ilhas que estando integrados nas suas comunidades ao deslocarem-se para São Miguel ou para a Terceira perdem esse vínculo mas não devem perder a vivência espiritual e nós temos de ser capazes de lhes dar esse alimento, integrando-os.”

Neste contexto, o padre Norberto manifesta preocupação com as consequências de uma falta de resposta da Igreja no acompanhamento destes jovens, “muitos acabam, até, por abandonar a prática dominical”, afirmando a necessidade de “os integrar” e, por exemplo, de o Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Universitária ter uma equipa em permanência na ilha Terceira, aproveitando até o momento propício da Jornada Mundial da Juventude.

“Temos de envolver os jovens da pastoral universitária nesta dinâmica, seja neste caminho preparatório seja depois na própria participação na jornada”, para além de momentos habituais na vida da pastoral universitária como a ‘bênção do traje’, a semana académica, ou a bênção das pastas.

A Diocese de Angra lembra que na primeira fase do Concurso Nacional de Acesso ao Ensino Superior foram colocados 556 alunos na Universidade dos Açores (UAc), segundo dados do Gabinete Ministro da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, um número “ligeiramente inferior” ao registado em 2021/2022, e superior ao ano letivo 2020/2021.

Foto: Igreja Açores

O padre Norberto Brum também está atento à questão do alojamento dos estudantes universitários deslocados e este trabalho “tem de envolver a associação académica”.

“Da nossa parte contactamos as paróquias para ajudarem no acolhimento, nomeadamente na parte da habitação, mas é sempre uma dificuldade”, explicou o coordenador do Serviço Diocesano de Apoio à Pastoral Universitária de Angra, ao sítio online ‘Igreja Açores’.

A Diocese de Angra tem uma residência universitária na cidade de Coimbra, mas não tem apoio logístico nem em Ponta Delgada (ilha de São Miguel) nem em Angra do Heroísmo (ilha Terceira).

CB

 

Ensino Superior: Diocese de Angra trabalha para «proporcionar as melhores condições» e «sucesso» de estudantes em residência universitária

Partilhar:
Share