«Que a Igreja seja a nossa casa», pede Serviço Pastoral da Conferência Episcopal

Lisboa, 02 dez 2022 (Ecclesia) – O Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência (SPPD), da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), apelou à superação da “discriminação” e dos “obstáculos” à inclusão, na Igreja e na sociedade.

“Ao longo da história, muitas vezes, essas mesmas pessoas têm sido objeto de discriminação e um olhar, exclusivamente, assistencial de dedicação dos outros e onde o interesse pastoral concentrava-se nas famílias ou instituições assistenciais que cuidavam delas”, indica a nota do organismo católico, enviada hoje à Agência ECCLESIA.

O SPPD considera urgente reconhecer que “existem muitos obstáculos à plena inclusão” das pessoas com deficiência, nomeadamente ao nível da acessibilidade;

A nota recorda o processo sinodal 2021-2024, convocado pelo Papa: o Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e a Secretaria-Geral do Sínodo, organismos da Santa Sé, envolveram este ano algumas dezenas de pessoas com deficiência dos cinco continentes numa “sessão especial de escuta”.

Com base nas perguntas do Sínodo “O que é que o Espírito pede à Igreja? Que caminhos se abrem para a Igreja e para os fiéis com deficiências”, os participantes elaboraram uma síntese que foi entregue à Secretaria-Geral do Sínodo e ao Papa Francisco, intitulada ‘A Igreja é a nossa casa’.

“No Dia Internacional das Pessoas com deficiência e em pleno processo sinodal encontramos um documento que resume as ideias e desejos das pessoas com deficiência relativamente à sua inclusão na Igreja. Se pudéssemos fazer um desejo neste dia seria o de que cada pessoa com deficiência sinta na Igreja a sua casa”, sublinha o SPPD.

O organismo da CEP sustenta que as pessoas com deficiência são “parte integrante na história da igreja” e ocupam nela um lugar central, recordando a forma como são, “inúmeras vezes, relatadas nos Evangelhos”.

Encontramos nos gestos e palavras de Jesus o carinho e a misericórdia de um Amigo, de um Irmão, de um Pai”.

Para o SPPD, a história das pessoas com deficiência “tem sido acompanhada por uma ausência de escuta dos próprios e proximidade fraternal”.

Foto: Vatican Media

A nota defende uma “mudança de paradigma”, citando o documento ‘A Igreja é a nossa casa’, no qual se sublinha a necessidade de “presença ativa de pessoas com deficiência como auxílio para superar a mentalidade de eficiência e de marginalização presente na sociedade atual”.

“O que o Espírito nos pede é para erradicar a discriminação e iniciarmos um caminho de inclusão com um aprofundamento teológico capaz de explicar de forma clara e forte a dignidade da pessoa com deficiência como igual a qualquer outro ser humano”, acrescenta o texto.

Neste Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, o Serviço Pastoral a Pessoas com Deficiência da Conferência Episcopal Portuguesa convida a que cada pessoa de fé abra o seu coração às questões colocadas pelas pessoas com deficiência e se permita deslumbrar com o tanto que podemos aprender e crescer, enquanto pessoas e comunidade. Que a Igreja seja a nossa casa!”.

A observância anual do Dia Internacional das Pessoas com Deficiência (3 de dezembro) foi proclamada em 1992 pela resolução 47/3 da Assembleia Geral das Nações Unidas.

O Vaticano vai lançar a 6 de dezembro uma série de quatro vídeos, para valorizar o contributo de pessoas com deficiência no processo sinodal.

OC

Pessoas com Deficiência: Serviço da Conferência Episcopal quer criar «todo o tipo de rampas» para acolher e promover a participação de todos

 

Partilhar:
Share