D. Virgílio Antunes pede «globalização de solidariedade»

Coimbra, 07 abr 2020 (ECCLESIA) – O bispo de Coimbra, D. Virgílio Antunes, disse, na mensagem pascal enviada à Agência ECCLESIA que “ninguém fica de fora” nesta fase de pandemia, marcada por “apreensão, porventura até medo de contacto com a doença e com a morte”.

O responsável destacou a necessidade de manter “a esperança e a alegria do coração” que são “bem maiores do que tudo aquilo de mau possa acontecer”.

À globalização do “sofrimento, da dor, do medo, quase até da morte” corresponde, segundo o bispo de Coimbra contrapõe “uma globalização da solidariedade, do amor, da caridade, da proximidade, do encontro e da atenção aos outros”.

D. Virgílio Antunes realça também que tem vivido “à sua maneira, procurando estar atento aos sinais de vêm de Deus e da comunidade humana e cristã”.

Numa atitude de abertura, o bispo de Coimbra pede para que este tempo “não seja de isolamento total”, mesmo que a presença física não possa ser a mesma de outras ocasiões, mas que seja “um tempo denso, um tempo rico e forte interiormente”.

Através das novas tecnologias e dos meios de comunicação, D. Virgílio Antunes está em “comunhão visível e próxima”, para estar “atento para tudo aquilo que se passa” à sua volta.

Devido à pandemia que assola o mundo, o bispo de Coimbra refere na sua mensagem que têm surgido “muitas e belas iniciativas que põem a igreja em saída a ir ao encontro de toda a humanidade” e de “modo especial os que estão na linha da frente no serviço à comunidade humana”.

Através da Internet têm sido “transmitidas muitíssimas celebrações dominicais” e também “muitíssimas propostas de oração de piedade popular, de meditação da Palavra de Deus e devoção mariana”.

Nas situações “normais”, esta realidade “nunca foi vista da mesma forma”, considera.

“Há coisas muito boas que se podem tirar desta situação dramática que a humanidade está a viver”, refere D. Virgílio Antunes.

No final da sua mensagem, o bispo deseja a “todos os diocesanos de Coimbra uma santa e feliz Páscoa com muita esperança, com o coração cheio de alegria porque Cristo ressuscitou”

No próximo domingo, por iniciativa do Arciprestado de Coimbra Urbana, todas as igrejas da cidade farão tocar festivamente os sinos, pelas 12h30, em “sinal de alegria e júbilo pela vida nova de Cristo Ressuscitado”.

Ao longo da Semana Santa, a ECCLESIA publica mensagens em vídeo dos bispos portugueses, com a colaboração dos serviços diocesanos, a respeito da celebração da Páscoa em tempos de pandemia.

LFS/OC

A Agência Ecclesia agradece às várias dioceses o envio da gravação das mensagens pascais

Coimbra: Bispo incentiva à «globalização da amizade e da consolação»

 

Partilhar:
Share