D. Manuel Linda afirma que «o Menino» acabado de nascer «fala mesmo no silêncio»

Porto, 26 dez 2019 (Ecclesia) – O bispo do Porto disse que Deus é “um coração aberto, um amor que transborda, uma verdade comunicante” e que o Menino, “acabado de nascer, já comunica” pois fala “mesmo no silêncio”, na homilia da Missa do Natal do Senhor.

“É nele que indica que, para chegar a Deus, é preciso percorrer a via das bem-aventuranças. Já diz, com a sua própria experiência histórica, que a revelação acontece e o acesso a Deus se faz na pobreza, na humildade, na simplicidade e na paz, quando não nas lágrimas e na perseguição”, explicou D. Manuel Linda.

Na Sé do Porto, o bispo diocesano assinalou que os acontecimentos interligados com o Natal “do Verbo de Deus” apresentam uma específica pedagogia para a “revelação e acesso a Deus”, de cada um e dos outros homens e mulheres que passa por “três momentos lógicos e cronológicos, todos insubstituíveis”.

Em primeiro lugar, explica D. Manuel Linda, “há que responder positivamente à inquietação que se apodera” de cada um e cumprir a sua parte, depois, “reconhecer naquele Menino o único Salvador”, que é “tarefa difícil, pois nada o prova e tudo parece desaprovar”, e em terceiro “ajudar o grande grupo a reconhecê-lo”.

De certeza, os pastores, os magos e tantos habitantes de Belém que se dirigiram à gruta, não calaram o que viram e ouviram, mas difundiram-nos ao largo e ao longe. É que a alegria e a felicidade geradas no contacto com este Menino exigem difusão, transmissão, testemunho”, desenvolveu.

O bispo do Porto, na homilia do Natal do Senhor, disse que o que “distingue de todas as outras crenças religiosas” é a “certeza” de que a fé “não resulta de uma qualquer tentativa de procurar a Deus pela via sempre limitada da racionalidade”.

“O nosso Deus é, de facto, um coração aberto, um amor que transborda, uma verdade comunicante”, observou D. Manuel Linda.

CB

Partilhar:
Share