D. João Lavrador quer que todos tenham «condições de saborear a dignidade humana e o bem-estar»

Angra do Heroísmo, Açores, 26 dez 2018 (Ecclesia) – O bispo de Angra afirmou na sua mensagem de Natal que é necessário que o poder político e as instituições sejam capazes de criar condições para que todos tenham dignidade humana, recordando que “32% das pessoas vivem em risco de pobreza”

“Temos de ser capazes de construir uma sociedade em que cada um sinta que afinal é do despojamento de si próprio, a exemplo de Jesus, que conseguimos construir a paz, a justiça e ajudamos cada ser humano a ter o direito ao salário, ao trabalho digno, a cuidados de saúde eficazes, no fundo, a uma vida com uma nova humanidade”, disse D. João Lavrador.

Numa mensagem transmitida pela RTP-Açores, o bispo de Angra assinalou que o elevado risco de pobreza “é uma vergonha” para quem tem responsabilidades políticas e para quem tem “responsabilidades ao nível da intervenção social”.

D. João Lavrador realçou que a “nova humanidade” a que convoca o presépio, e “o encontro com o Deus que se fez menino”, só se alcança se todos tiverem “condições de saborear a dignidade humana e o bem-estar digno de todo o ser humano”.

“Junto do presépio reconheçam O que vem ao nosso encontro e que vem ajudar-nos a reconhecer que em cada ser humano existe uma força que pode ser potenciada”, convidou o bispo de Angra, incentivando quem reside “nos Açores ou estão na diáspora” a caminharem “todos com esforço e com coragem”

O sítio online diocesano ‘Igreja Açores’ informou ainda que o bispo presidiu às celebrações do dia de Natal na igreja Matriz de São Sebastião, em Ponta Delgada, ilha de São Miguel.

CB/OC

Partilhar:
Share