Prémio distingue ações de «liderança, coragem e espírito de sacrifício pelos outros»

Washington, 09 mar 2019 (Ecclesia) – A missionária irlandesa Orla Treacy, do Instituto da Bem-Aventurada Virgem Maria, recebeu esta sexta-feira, o Prémio Mulheres de Coragem 2019.

Instituído pelo departamento de Estado dos Estados Unidos da América, o prémio visa distinguir mulheres “que demonstraram liderança, coragem, desenvoltura e vontade para se sacrificar pelos outros, especialmente na promoção dos direitos das mulheres”.

A irmã Orla Treacy, membro do Instituto da Bem-Aventurada Virgem Maria, mais conhecido como Irmãs de Loreto, tem 46 anos e é diretora da Escola Loreto em Maker Kuei, nos arredores da cidade de Rumbek, no Sudão do Sul, há 11 anos.

A religiosa abriu a escola secundária com internato em 2008 com 35 meninas, acolhendo hoje 300 alunas de todo o país.

“Este prémio pertence às jovens do Sudão do Sul, com quem tenho o privilégio de trabalhar. As nossas alunas corporizam tudo o que é corajoso – elas são jovens mulheres com visão, força e esperança”, manifestou a irmã Orla Tracey sobre a distinção.

O sonho de um país melhor conduz “jovens mulheres” que “estão preparadas para desafiar velhas estruturas e trabalhar para tornar o Sudão do Sul um lugar de destaque”.

Três advogadas, duas polícias, uma pacifista, uma fundadora de uma ONG, uma jornalista e uma juíza, provenientes de países distintos como o Bangladesh, Sri Lanka ou Montenegro, compunham a lista das restantes nomeadas.

LS

Partilhar:
Share