Missa reuniu milhares de católicos da região

Foto: Lusa

Skopje, 07 mai 2019 (Ecclesia) – O Papa disse hoje em Skopje, terra natal de Madre Teresa, que é preciso multiplicar o “milagre da fraternidade”, como fez a religiosa católica, indo ao encontro de quem tem “fome de pão, fome de fraternidade, fome de Deus”.

“Como conhecia bem tudo isto Madre Teresa que quis fundar a sua vida sobre dois pilares: Jesus encarnado na Eucaristia e Jesus encarnado nos pobres! Amor que recebemos, amor que damos”, referiu Francisco, na homilia da Missa a que presidiu na Praça Macedónia.

A capital da Macedónia do Norte recebeu milhares de católicos, incluindo vários imigrantes e fiéis de países vizinhos como a Albânia, Croácia e Kosovo, que se fizeram acompanharam das suas respetivas bandeiras.

O Papa chegou hoje à Macedónia do Norte para visitar cidade de Skopje, na Macedónia do Norte, terra natal de Santa Teresa de Calcutá, uma figura de referência no seu pontificado, durante o qual foi canonizada.

A viagem de 10 horas, após passagem pela Bulgária, começou com uma visita ao Memorial dedicado a Madre Teresa, com a presença de líderes religiosos, e um encontro com os pobres.

Francisco falou dos “dois pilares inseparáveis” que marcaram a figura da religiosa, prémio Nobel da Paz em 2019.

“Foi ter com o Senhor e, com o mesmo ato, foi ter com o irmão desprezado, não amado, sozinho e esquecido; foi ter com o irmão e encontrou o rosto do Senhor”, precisou.

O Papa referiu que o mundo atual se encontra oprimido pela “impaciência e a ansiedade”, com pessoas “prisioneiras da virtualidade”.

“Habituamo-nos a comer o pão duro da desinformação, e acabamos prisioneiros do descrédito, dos rótulos e da infâmia; julgamos que o conformismo saciaria a nossa sede, e acabamos por nos dessedentar de indiferença e insensibilidade”, advertiu.

Temos fome, Senhor, do pão da vossa Palavra capaz de abrir os nossos fechamentos e as nossas solidões; temos fome, Senhor, de fraternidade, onde a indiferença, o descrédito, a infâmia não encham as nossas mesas nem ocupem o primeiro lugar em nossa casa. Temos fome, Senhor, de encontros onde a vossa Palavra seja capaz de elevar a esperança, despertar a ternura, sensibilizar o coração abrindo caminhos de transformação e conversão”.

Francisco desafiou os participantes a “quebrar os estereótipos”, para partilhar com todos a misericórdia de Deus com gestos de “amor concreto e palpável”, de “ternura e compaixão”.

“Encorajemo-nos uns aos outros a levantar-nos de pé e experimentar a abundância do seu amor; deixemos que Ele sacie a nossa fome e sede no sacramento do altar e no sacramento do irmão”, concluiu.

O programa da viagem inclui, esta tarde, um encontro ecuménico e inter-religioso com jovens; e uma audiência com sacerdotes, religiosos e seu familiares, na catedral local.

Os 15 mil católicos da Macedónia do Norte representam 0,72% da população do país.

OC

Partilhar:
Share