Católicos vão ajudar instituição a «continuar a socorrer os mais vulneráveis»

Lisboa, 18 fev 2021 (Ecclesia) – O Patriarcado de Lisboa informa que o valor da renúncia quaresmal deste ano se destina à Cáritas Diocesana, para que a instituição possa “continuar a socorrer os mais vulneráveis”.

“As consequências gravosas desta pandemia, na economia de tantas famílias, apelam que o destino da nossa Renúncia desta Quaresma seja para a Cáritas Diocesana de Lisboa poder continuar a socorrer os mais vulneráveis”, explicou o vigário-geral da diocese, cónego Francisco Tito.

Uma carta enviada hoje ao clero de Lisboa informa a decisão do cardeal-patriarca surgiu após ter “ouvido o Conselho Episcopal”.

A Vigararia Geral da Diocese de Lisboa assinalou a importância da “prática da caridade” e pede que a renúncia quaresmal seja entregue “até ao II Domingo da Páscoa”, 11 de abril, “por transferência bancária, diretamente ou através da paróquia, para a conta com o IBAN: PT50003300004544795746905”.

O Patriarcado de Lisboa lembra ainda que fica adiada “para a próxima Quaresma” a renúncia quaresmal para “a construção do hospital da Diocese de Palai”, na Índia, um adiamento que também aconteceu em 2020, “por causa do confinamento profilático ditado pela pandemia da Covid-19”.

Esta quarta-feira, na homilia da celebração das Cinzas, primeiro dia de Quaresma, D. Manuel Clemente destacou a “graça da conversão”, a que “mais importa” especialmente quando a pandemia “confina fisicamente, mas não fecha o coração”.

“Acompanharemos quantos sofreram e sofrem com a presente pandemia, bem como os que abnegadamente trabalham para a debelar no setor da saúde e na sociedade em geral”, explicou, na Sé patriarcal.

CB/OC

Partilhar:
Share