Cardeal Angelo Bagnasco afirmou que encontro internacional é «uma graça»

Porto, 06 fev 2020 (Ecclesia) – O presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) disse estar certo de que “os jovens portugueses responderão à altura” do “grande encontro” que é a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que Lisboa recebe no verão de 2022.

“Antes de mais devem estar muito contentes e cheios de alegria por este encontro mundial que o Santo Padre decidiu na continuação destas Jornadas da Juventude”, afirmou o cardeal Angelo Bagnasco em declarações ao jornal ‘Voz Portucalense’ enviadas à Agência ECCLESIA.

O anúncio da escolha de Lisboa como sede da próxima edição internacional da JMJ foi feito pelo Vaticano, a 27 de janeiro de 2019, no final da jornada que decorreu no Panamá.

“É um grande encontro e estou certo que os jovens portugueses responderão à altura”, disse o cardeal italiano.

O presidente do CCEE assinalou que os jovens portugueses “devem sentir-se particularmente responsáveis” para que os jovens de “todo o mundo” que vão estar em Portugal no verão de 2022 para a JMJ “encontrem uma Igreja plena de esperança e alegria”.

“Temos que ser assim. Porque o Senhor ressuscitou e está ao nosso lado em cada circunstância e faz-nos superar com a fé cada dificuldade e provação”, acrescentou.

“É uma ocasião belíssima, uma graça. É certo que estão já em trabalho ativo e generoso”, assinalou ainda o cardeal italiano, presidente da CCEE, em declarações à margem das Jornadas de Teologia, que terminam hoje no Porto, onde falou também sobre o tema da eutanásia, que vai ser discutido na Assembleia da República no próximo dia 20.

‘Maria levantou-se e partiu apressadamente’ é o tema da JMJ Lisboa 2022 e o Comité Organizador do Local do encontro em Portugal vai promover uma peregrinação de jovens a Roma, entre 3 e 6 de abril, para acolher os símbolos – a Cruz e o Ícone de Nossa Senhora ‘Salus Populi Romani’ – no Domingo de Ramos (dia 5).

As Jornadas Mundiais da Juventude nasceram por iniciativa do Papa João Paulo II, após o sucesso do encontro promovido em 1985, em Roma, no Ano Internacional da Juventude.

Cada encontro mundial de jovens realiza-se, anualmente, a nível local (diocesano) no Domingo de Ramos, alternando com um encontro internacional a cada dois ou três anos, numa grande cidade como a próxima edição na capital portuguesa.

As edições internacionais destas jornadas promovidas pela Igreja Católica são um acontecimento religioso e cultural que reúne centenas de milhares de jovens de todo o mundo, durante cerca de uma semana.

CB/OC

Partilhar:
Share