Presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa falou nas Jornadas de Teologia que decorrem na Universidade Católica Portuguesa

Porto, 05 fev 2020 (Ecclesia) – O presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa (CCEE) disse que “ser cristão não é um peso” que se tem de “transportar”, mas “uma graça”.

“Ser cristão não é um peso que temos que transportar, mas é uma graça que recebemos do Alto e pela qual somos responsáveis perante o mundo. Devemos dar um testemunho visível e substancialmente alegre”, afirmou o cardeal Angelo Bagnasco ao jornal ‘Voz Portucalense’, em declarações enviadas hoje à Agência ECCLESIA.

O arcebispo de Génova foi convidado para participar nas Jornadas de Teologia 2020, organizadas pelo núcleo do Porto da Faculdade de Teologia, em colaboração com a Diocese do Porto e a Irmandade dos Clérigos, que decorrem até quinta-feira numa reflexão sobre ‘A Iniciação Cristã em Tempos de Secularização’.

O responsável católica considera que as comunidades cristãs, “pequenas ou grandes”, devem dar um testemunho de “maior bondade, sem críticas, sem polémicas, sem invejas”, sem cada um pretender afirmar-se mas “servir humildemente na gratuidade”.

“É preciso que gostemos mais uns dos outros”, observou o presidente da CCEE, que apresentou no Porto os temas ‘A iniciação cristã no contexto da secularização’ e ‘Que percursos para a fé hoje?’.

Se as comunidades cristãs forem verdadeiramente lugares de benevolência e de ajuda na fé e na vida quotidiana, tornar-se-ão sinais de esperança, num modo tal que quem quer que se aproxime se sentirá em casa”.

Para o cardeal Angelo Bagnasco, na Europa “não assim tão poucos” os que se questionam sobre “como é a vida do homem moderno” e se o sistema de cultura e de sociedade “responde às necessidades mais profundas” da pessoa humana que é a de “viver com os outros com serenidade”.

“Parece-me que a consciência de muitas pessoas está a despertar e colocam-se interrogações sérias. E há grupos de jovens e de menos jovens que conheci e que procuram uma vida de oração, de liturgia, de catequese e de serviço, muito intensa. Pessoas que têm as suas famílias e o seu trabalho, mas que desejam isto e encontram-se. E isto parece-me muito belo e prometedor”, desenvolveu, evocando a Assembleia Plenária da CCEE que decorreu em outubro de 2019.

No Porto, o cardeal Angelo Bagnasco referiu-se também à nova configuração da União Europeia (UE) originado pelo Brexit, a saída do Reino Unido de Estado-membro, que aconteceu no dia 31 de janeiro, como uma “oportunidade” para a UE “examinar-se melhor” e “ver as coisas que pode e deve melhorar”.

“Num modo que este facto do Brexit seja uma ocasião para dizer que o caminho europeu não deve parar”, realçou o presidente do Conselho das Conferências Episcopais da Europa.

As Jornadas de Teologia terminam esta quinta-feira, com a Missa presidida pelo do bispo do Porto, D. Manuel Linda, às 12h00; no dia seguinte, a Universidade Católica Portuguesa comemora solenemente o Dia Nacional 2020, a partir das 15h00, no Centro Regional do Porto.

CB/OC

Porto: Jornadas de Teologia sobre «A Iniciação Cristã em Tempos de Secularização»

Partilhar:
Share