Ser presença, companhia, ser a escuta, ausente de palavras que se apressam a condenar antes de ouvir a culpa que se carrega e que tantas vezes prende mais do que as grades.A presença da Igreja dentro das prisões está a cargo. na diocese do Algarve. do Cónego Manuel Rodrigues. Não escolheu esta missão, mas entendeu que quem estava recluso era também seu paroquiano. Foi assim que começou a dar corpo a esta obra, que a Igreja afirma ser de misericórdia: «estava preso e foste visitar-me».
Atrás das grades os gestos escondidos são os que iluminam os dias dos presos à espera da sua liberdade. O jornalista Octávio Carmo foi ao Algarve saber como se abrem janelas de esperança…

Partilhar:
Share