Ban Ki-moon, antigo secretário-geral da ONU, sublinhou importância dos valores do Escutismo na formação de novas lideranças

Glen Jean, Virgínia Ocidental, Estados Unidos da América, 02 ago 2019 (Ecclesia) – Ban Ki-moon, antigo secretário-geral da ONU, discursou na última noite durante a cerimónia de encerramento do Jamboree 2019, acampamento mundial de escuteiros, desafiando os participantes a ser “embaixadores globais” de valores do movimento como “coexistência, tolerância e sustentabilidade”.

“O mundo precisa de novas gerações de pensadores e atores que estejam comprometidos globalmente, com um pensamento sustentável, como vocês”, referiu o responsável, perante milhares de participantes reunidos em Glen Jean, Virgínia Ocidental, nos Estados Unidos da América.

Moon sublinhou a necessidade de “cidadãos éticos, cidadãos globais” que assumam os desafios da construção da paz e da defesa da natureza, como “membros da humanidade”, capazes de “construir pontes entre os povos”.

O antigo secretário-geral da ONU assinalou, na sua intervenção, a importância dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ONU) e do Acordo de Paris, sobre o clima, sublinhando que é preciso “agir agora”.

“Não temos plano B, porque não temos um planeta B”, apontou.

Ban Ki-moon falou do 24.º Acampamento Mundial de Escuteiros (World Scout Jamboree) como exemplo de “coexistência pacífica”, que se deve repetir nas várias nações.

O evento decorreu desde 22 de julho, na Virgínia Ocidental, com 45 mil participantes de 150 países; o contingente português foi constituído por 784 escuteiros.

O padre Luís Marinho, assistente nacional do Corpo Nacional de Escutas, presidiu a uma Missa, durante a qual uma pioneira fez a sua promessa.

“Deus fala aos homens como a um amigo”, assinalou o sacerdote.

O final do 24th World Scout Jamboree – North America 2019 aproxima-se e o mau tempo voltou a imperar no Summit Bechtel Reserve. As actividades foram suspensas até acabar o alerta e depois tudo voltou à normalidade. O dia encerrou com a celebração da missa em português onde uma pioneira fez promessa.

Publicado por Missão Virgínia – Contingente Portugal WSJ 2019 em Quarta-feira, 31 de julho de 2019

 

Pela primeira vez, Portugal teve um “restaurante” no Jamboree.

“O sucesso deixa vontade de repetir a experiência, que contou com a colaboração de equipa de contingentes, responsáveis de tropas e até dos próprios participantes”, assinalam os responsáveis pela Comunicação da delegação lusa.

OC

UMA CASA PORTUGUESA

Pela primeira vez Portugal teve um "restaurante" no Jamboree.O sucesso deixa vontade de repetir a experiência, que contou com a colaboração de equipa de contigentes, responsáveis de tropas e até dos próprios participantes.

Publicado por Missão Virgínia – Contingente Portugal WSJ 2019 em Quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Partilhar:
Share