Caso foi enviado para a Congregação para a Doutrina da Fé, no Vaticano

Bragança, 02 ago 2019 (Ecclesia) – A Diocese de Bragança-Miranda informou que está a investigar uma suspeita de abuso sexual de menor por parte de um membro do clero local.

“A eventual vítima foi ouvida, recolheram-se as informações pertinentes e tudo foi enviado para a Congregação para a Doutrina da Fé, em Roma. A Diocese está em contacto com a eventual vítima e mantém um acompanhamento próximo neste momento tão difícil”, assinala um comunicado enviado à Agência ECCLESIA pelo Secretariado Diocesano das Comunicações Sociais.

A nota precisa que a diocese transmontana recebeu uma queixa, por escrito, “sobre a possível prática de um abuso sexual por parte de um sacerdote da Diocese, numa altura em que a alegada vítima era ainda menor”.

Após a receção da denúncia, os responsáveis diocesanos deram início “aos procedimentos previstos pela Conferência Episcopal Portuguesa e pela Santa Sé”.

A Diocese de Bragança-Miranda refere não ter conhecimento de qualquer queixa junto das autoridades policiais e judiciais pertinentes, manifestando a “disposição de colaborar maximamente” com as mesmas, precisando que a pessoa responsável pela queixa “manifestou o desejo de não ser identificada”.

“É com preocupação que damos esta informação, e a simples possibilidade de poder ter ocorrido um abuso deixa-nos apreensivos, por serem tão devastadores os seus efeitos, e por ser uma conduta tão contrária ao serviço do Evangelho. Temos o propósito firme de estar ao lado do Papa Francisco na luta decidida para afastar este mal”, indica o comunicado.

O bispo de Bragança-Miranda, D. José Cordeiro, instituiu esta semana a Comissão Diocesana para a Proteção de Menores e de Pessoas Vulneráveis (CDPMPV), presidida pelo padre José Manuel Bento Soares.

A nomeação, com data de 31 de julho, informa que a comissão deve iniciar “o seu serviço pastoral durante a primeira semana do mês de setembro”.

O novo organismo, exigido em todas as dioceses católicas, por determinação do Papa Francisco, tem como coordenadora a psicóloga clinica Flávia Cristina Alves Lucas; entre os seus membros estão Amândio Amílcar Correia, superintendente da PSP; Elisa Nascimento Ferreira Santos Vieira, pedopsiquiatra; e Ana Estrela Marcos Correia de Barros, jurista.

“Os membros da CDPMPV não substituem o bispo na sua responsabilidade, mas auxiliam-no através das suas competências educativas, médicas, psicológicas, jurídicas, pastorais e de comunicação”, escreve D. José Cordeiro.

O bispo de Bragança-Miranda nomeou ainda o representante e interlocutor do Comité Organizador Diocesano (COD) com o Comité Organizador Local (COL) para a Jornada Mundial da Juventude (JMJ) de 2022, em Lisboa: João Pedro Jacob Ferreira.

OC

Partilhar:
Share