Mais de 40 mil jovens de 150 países, entre os quais quase oito centenas de Portugal, participam no acampamento mundial entre o dia 22 de julho e 2 de agosto

Lisboa, 19 jul 2019 (Ecclesia) – O chefe nacional do Corpo Nacional de Escutas disse à Agência ECCLESIA que a realização do Acampamento Mundial dos Escuteiros nos Estados Unidos é uma afirmação de “irreverência” de quem se compromete com o cuidado da casa comum.

“Este Jamboree, que é coorganizado pelos Estados Unidos, pelo México e pelo Canadá, tem como tema principal precisamente o cuidar da casa comum, o cuidar do nosso ambiente e está muito ligado aos objetivos do desenvolvimento sustentável, o que marca esta irreverência dos escuteiros em continuarem a comprometer-se com um mundo melhor, mais saudável, um mundo que tenha futuro”, afirmou Ivo Faria.

Para o responsável pelo movimento de escutistas católico em Portugal, o acampamento “não vai funcionar como uma afirmação política”, antes contribui para a “marcar um vínculo” dos jovens com o cuidado da criação.

“O acampamento como um todo, todo o trabalho e a aprendizagem de 12 dias, a discutir e a trabalhar estes temas, vai marcar um vínculo dos nossos jovens com estas causas que, de alguma forma, dá algum contraste”, afirmou.

O chefe nacional do CNE acredita que “todo o povo americano há de estar sintonizado” com as preocupações ambientais e de desenvolvimento defendidas pelos escuteiros.

Entre os dias 22 de julho e 2 de agosto decorre na Virgína Ocidental, Estados Unidos da América, o 24º Acampamento Mundial de Escuteiros (World Scout Jamboree), com 45 mil participantes de 150 países.

O contingente português é constituído por 784 escuteiros, que “pela primeira vez” vai ter um restaurante onde, todos os dias, “uma equipa de voluntários vai cozinhar práticos típicos”.

O chefe nacional do CNE disse que os escuteiros de Portugal estão com “muita motivação, muita alegria” para participar numa “atividade única”.

“Cada participante só pode participar uma vez no Jamboree, quando tem entre 14 e 18 anos, sendo que a atividade só acontece de quatro em quatro”, lembrou Ivo Faria.

“É a oportunidade de uma vida inteira de poder estar no mesmo local com 40 mil participantes de 150 ou 160 países e conhecer tantas pessoas de tantas culturas, religiões, modos de vida”, acrescentou.

O chefe nacional do Corpo Nacional de Escutas acrescentou que os quase 800 participantes estão com “vontade de aprender, fazer novos amigos e encontrarem o mundo à distância de uma aldeia”.

Os 784 jovens e adultos da Federação Escutista de Portugal – Corpo Nacional de Escutas e Associação de Escoteiros de Portugal – vão viajar nestes dias para acampar “num dos maiores centros escutistas mundiais”.

PR

Jamboree2019: Oito centenas de escuteiros de Portugal a caminho dos Estados Unidos para o acampamento mundial

Partilhar:
Share