Jornal do Vaticano apresenta sacerdote madeirense como «uma das vozes mais autorizadas» da cultura portuguesa

Retiro do Papa e da Cúria Romana em Ariccia (imagem de arquivo)

Cidade do Vaticano, 28 jan 2018 (Ecclesia) – O jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’, anunciou hoje que o padre Tolentino Mendonça vai orientar o tradicional retiro de Quaresma do Papa e dos seus colaboradores mais diretos, na Itália, de 18 a 23 de fevereiro.

O sacerdote, vice-reitor da Universidade Católica de Lisboa e consultor do Conselho Pontifício para a Cultura (Santa Sé) é apresentado pelo quotidiano como “teólogo e poeta”, “uma das vozes mais autorizadas” da cultura portuguesa.

“O elogio da sede” é o tema dos exercícios espirituais do Papa Francisco e da Cúria Romana, na Casa do Divino Mestre, dos religiosos paulistas, em Ariccia, arredores de Roma, com 10 meditações do padre e poeta madeirense.

O retiro começa às 18h00 (menos uma em Lisboa) do domingo, 18 de fevereiro, com introdução, adoração eucarística e oração das vésperas.

“Aprendizes do espanto” é o título da reflexão do padre Tolentino Mendonça que servirá de introdução a todo ciclo dos exercícios.

Nos dias seguintes, o programa começa com a celebração da Missa às 07h30 locais, e a seguir, a primeira meditação às 09h30; a segunda meditação está prevista para as 16h00, antes da oração das vésperas e da adoração eucarística.

Na sexta-feira, último dia de retiro, está prevista uma única meditação.

Os temas escolhidos pelo sacerdote português são: “a ciência da sede”, “percebi que estava sedento”, “esta sede de nada”, “a sede de Jesus”, “as lágrimas contam uma sede”, “beber da própria sede”, “as formas do desejo”, “ouvir a sede das periferias”, e “a bem-aventurança da sede”.

Durante o período de retiro são suspensas todas as audiências, incluindo a audiência geral de quarta-feira.

José Tolentino Mendonça nasceu em Machico (Arquipélago da Madeira) em 1965 e foi ordenado padre em 1990; doutorado em Teologia Bíblica, em Roma.

A 2 de janeiro, o jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’ destacou a sua obra ‘A Leitura Infinita – Bíblia e sua interpretação’ e sublinhou a importância dada pelo especialista português à “imprevisibilidade” no discurso teológico, para que este não seja “ideológico e vão”.

Biblista, investigador, poeta e ensaísta, Tolentino Mendonça foi condecorado com o grau de Comendador da Ordem de Sant’lago da Espada por Aníbal Cavaco Silva, presidente da República, em 2015.

OC

Partilhar:
Share