Bispo do Algarve benzeu e dedicou espaço de culto a São João Batista

Foto: Folha do Domingo/Samuel Mendonça

Faro, 03 jul 2020 (Ecclesia) – O bispo do Algarve benzeu e dedicou a São João Batista a nova capela da Manta Rota, freguesia de Vila Nova de Cacela, no concelho de Vila Real de Santo António, que no verão recebe milhares de pessoas.

“Tenhamos presente que a Igreja viva somos nós, reunidos pela fé e pela caridade, Igreja que está presente no meio do mundo como sinal e testemunho do amor com que Deus ama todos os homens”, afirmou D. Manuel Quintas, que assinalou a importância dos visitantes terem uma “capela durante as férias para rezar”, divulga o jornal ‘Folha de Domingo’.

Ao jornal da Diocese do Algarve, o padre Agostinho Pinto contabilizou que no verão têm “à volta de 30 mil pessoas na Manta Rota”, o que representa um desafio para as celebrações comunitárias.

O pároco de Cacela, responsável pela comunidade católica de Manta Rota, explicou que nos meses das férias de verão as pessoas na Eucaristia chegam quase às duas centenas e depois continua a ser celebrada a Missa dominical, no último inverno com cerca de 50 pessoas, com “muitos reformados”, que têm ali “casa de férias”.

A celebração da bênção e dedicação da nova capela da Manta Rota começou com a bênção da água e a aspersão sobre o ambão e das paredes da capela, depois as bênçãos e revestimento do altar, das imagens e do sacrário, e o bispo do Algarve lembrou que João Batista, o padroeiro, “aponta para Jesus”.

“Ter um padroeiro como São João Batista é ter o caminho certo para chegar a Jesus; Sem dúvida que valeu a pena e há de valer sempre mais, também para as gerações vindouras, este esforço, sacrifício, dedicação e teimosia”, salientou D. Manuel Quintas.

A nova capela fica situada perto da praia, junto à urbanização Sulférias, na Quinta da Manta Rota, com uma área de cerca de 800 metros quadrados cedidos pelo Município de Vila Real de Santo António, e começou a ser idealizada no verão de 2011 quando o padre Agostinho Pinto foi para o Algarve.

“A construção é fruto da generosidade de muitos”, recordou o sacerdote no final da Eucaristia no dia 24 de junho, lembrando a realização de diversos eventos de angariação de fundos – quermesses, almoços, jantares e sorteios – o contributo de muitos particulares e a oferta do altar, cadeiral, o sacrário cujo desenho é da autoria do próprio pároco que tem formação artística, o ambão, pedestais para os santos e credência, os paramentos, as alfaias litúrgicas e o equipamento de som.

No final da Eucaristia, a presidente da Câmara Municipal de Vila Real de Santo António, Conceição Cabrita, anunciou uma comparticipação de 40 mil euros, aprovação do Plano de Apoio Municipal.

O padre Agostinho Pinto adiantou que a construção por módulos pré-fabricados foi opção “por ser mais em conta” e o custo com a capela deverá rondar os 300 mil euros, divulga o jornal da Diocese do Algarve ‘Folha do Domingo’.

CB/OC

Partilhar:
Share