Organização católica Fundação Fé e Cooperação é parceiro no terreno do projeto «Cáritas Lusófonas em Rede»

 

Lisboa, 05 abr 2018 (Ecclesia) – A Cáritas Portuguesa está a apoiar a congénere angolana a ‘Inovar para o Impacto’, com base nos standards de gestão da Cáritas Internacional, num projeto onde vai ser implementado um plano de melhoria ao longo de três anos.

“São uma metodologia e uma série de procedimentos que as Cáritas têm de cumprir”, explicou a gestora de projetos da Unidade Internacional da Cáritas Portuguesa.

Em declarações à Agência ECCLESIA, Filipa Abecassis realçou que o projeto ‘Cáritas Lusófonas em Rede – Inovar para o impacto’ “não pretende” que todas as organizações da rede façam a mesma coisa, “porque têm de responder às necessidades das suas próprias comunidades”.

“Que trabalhem da mesma forma e se tentem profissionalizar e reforçar a sua notoriedade e credibilidade junto das comunidades que apoiam”, afirmou.

Neste contexto, a gestora de projetos da Unidade Internacional da Cáritas Portuguesa refere que o objetivo em Angola é acompanhar a direção geral da Cáritas desde uma autoavaliação, “quase olhar para dentro da própria organização”, e tentar ir às raízes das causas dos problemas que “são mais visíveis” e definir prioridades.

“Pretende-se que seja a organização a definir o que quer fazer, estes procedimentos são gerais para todas as Cáritas, requisitos que têm a ver com legislação e código de ética, o organigrama da organização, a prestação de contas”, desenvolveu.

Filipa Abecassis comentou que ‘Cáritas Lusófonas em Rede – Inovar para o impacto’ começa em Angola, “como se fosse o piloto”, e já no próximo ano deve ser lançado para São Tomé e Príncipe.

O projeto começou a 6 de março e, no terreno, a instituição portuguesa conta com a parceria da organização católica para o desenvolvimento ‘Fundação Fé e Cooperação’ – FEC.

A responsável explica que “faltava o pé no terreno” que a FEC tem, por “estar há muitos anos nos países lusófonos em África” onde desenvolve “vários projetos de capacitação e desenvolvimento de competências”.

Sobre a relação entre as diversas Cáritas, a gestora de projetos da Unidade Internacional da Cáritas Portuguesa adianta que, de 2 em 2 anos, existe um fórum lusófono.

Filipa Abecassis recorda que a organização portuguesa faz parte de uma rede internacional de 166 Cáritas em todo o mundo, bem como da rede europeia.

“Temos diversos tipos de atuação internacional: Humanitária de emergência e projetos de cooperação internacional”, acrescenta, realçando que a ajuda aos refugiados “motivam muitas parcerias” e têm, neste momento, a campanha ‘Partilhar a viagem’.

A Cáritas em Portugal tem mais de 1400 colaboradores profissionais e cerca de 100 dirigentes; conta com a colaboração regular de cerca de 250 voluntários e mais de 4 mil voluntários ocasionais.

PR/CB/OC

Partilhar:
Share