Eugénia Quaresma assume Secretariado Nacional da Mobilidade Humana

Lisboa, 13 nov 2014 (Ecclesia) – A nova diretora do Secretariado Nacional da Mobilidade Humana, responsável também da Obra Católica Portuguesa de Migrações, explicou a responsabilidade do novo desafio e as prioridades que começam por “conhecer melhor os serviços” e “e otimizar o setor”.

“Vou ter de falar com os diretores e conhecer melhor os serviço, ver o que é que querem de nós e como podemos continuar a trabalhar e otimizar este setor. Ainda vou tomar o pulso da situação” começa por explicar Eugénia Costa Quaresma, a nova diretora do Secretariado Nacional da Mobilidade Humana tem quatro obras dependentes.

A nova diretora do Secretariado Nacional da Mobilidade Humana e da Obra Católica Portuguesa de Migrações (OCPM) foi nomeada hoje, em Fátima, pela Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) e o organismo que terá à sua responsabilidade compreende ainda a Obra Nacional da Pastoral dos Ciganos, a Obra Nacional da Pastoral do Turismo e o Apostolado do Mar.

À Agência ECCLESIA, Eugénia Costa Quaresma conta que recebeu esta nomeação com “surpresa”e espera corresponder ao “voto de confiança”.

Conhecedora do trabalho desenvolvido pela Obra Católica Portuguesa de Migrações onde está há cerca de 13 anos vai assumir esta área em particular e revela que nesta fase vão dedicar mais “atenção aos emigrantes”.

“Temos um encontro em janeiro de 2015 onde que vamos dar particular atenção à família, ver como estão as nossas famílias emigrantes. É uma primeira prioridade”, desenvolve a nova diretora.

Para Eugénia Costa Quaresma, a “demanda de sacerdotes muito ligada à falta de vocações”, uma prioridade mais antiga, é outra necessidade.

Para a diretora da OCPM poder ter sacerdotes que acompanhem as famílias emigrantes é um “grande desafio que as migrações colocam à Igreja” e que considera “transversal” com diferentes setores da pastoral como as vocações e a família.

“Existe também o desafio, nesta fase de crise, de otimizar o trabalho dos leigos e, neste sentido, esta nomeação é uma reposta a isso, a esta crise de vocações e deixar para os padres o serviço que lhes é específico”, assinala a interlocutora.

Eugénia Costa Quaresma explica que quando surgiu o convite para ser diretora do Secretariado Nacional da Mobilidade  Humana e da Obra Católica Portuguesa de Migrações recebeu “em primeiro lugar como um desafio” e depois com a certeza que não vai estar sozinha neste serviço “na linha de diálogo, de conciliação de escuta para estar melhor à altura dos desafios”.

A nova responsável, na Obra Católica Portuguesa de Migrações, vai ter ainda o apoio do diretor cessante, o frei Francisco Sales que vai passar a ser o Assistente Espiritual.

“Esse lado é muito importante: como é um serviço pastoral e há um pedido pastoral do outro lado [migrantes] é bom continuarmos a ter um sacerdote mais próximo e que pode desempenhar algumas tarefas”, destaca Eugénia Costa Quaresma.

Por isso, frisa a continuidade numa “linha de colaboração” com o frei Francisco Sales e também o facto positivo das comunidades “já o conhecerem e ter uma boa aceitação”.

CB

Partilhar:
Share