Atual bispo de Leiria-Fátima indicou D. Ilídio Leandro para ser seu sucessor na Diocese de Viseu

Foto: Diocese de Viseu, D. Ilídio Leandro e cardeal D. António Marto

Leiria, 21 fev 2020 (Ecclesia) – O cardeal D. António Marto disse à Agência ECCLESIA que recebeu a notícia do falecimento de D. Ilídio Leandro com o “choque humano que é natural” e recorda um colaborador “generoso e competente” que indicou para seu sucessor como bispo de Viseu.

“Não queria sair sem ter um sucessor que continuasse o ritmo pastoral que tínhamos impresso e ele era o mais indicado”, disse o atual bispo de Leiria-Fátima.

D. António Marto foi bispo de Viseu entre 2004 e 2006, sucedendo-lhe D. Ilídio Leandro, até 2018, ano em que resignou por motivos de doença.

“Eu mesmo o indiquei na ‘terna’ para sucessor porque entendia que era uma pessoa muito estimada, muito aceite pelos fiéis leigos, do clero, pela sociedade civil, concretamente as autoridades autárquicas e tinha as qualidades humanas e sacerdotais para ser um bom bispo, como foi”, afirmou D. António Marto.

O atual bispo de Leiria-Fátima recorda a primeira ordenação episcopal que presidiu “com muita alegria”, a de D. Ilídio Leandro, e a “satisfação do povo de Viseu por ter aquele bispo”.

“Foi um autêntico pastor, com cheiro a ovelhas, como diz o Papa Francisco. Próximo do seu povo, quer dos leigos quer dos sacerdotes, conhecia muito de perto e profundamente a vida das pessoas e das comunidades”, sublinhou.

Para o cardeal D. António Marto, D. Ilídio Leandro “ia ao encontro de todos sem distinção”, concretizou a “grande preocupação pela renovação da Igreja a partir do Concílio Vaticano II”, imprimiu o “estilo da sinodalidade” na Diocese de Viseu e implementou medidas “corajosas” na Pastoral Familiar.

“Imprimiu uma Pastoral Familiar marcada pela caraterística da misericórdia, que o Papa Francisco indicou na ‘Amoris Laetitia’. Neste campo tomou corajosas, enfrentando algumas críticas, mas com posições teológicas muito bem fundamentadas”, disse o atual bispo de Leiria-Fátima.

O cardeal D. António Marto recorda também os contributos de D. Ilídio Leandro nos trabalhos da Conferência Episcopal Portuguesa, com uma “sensibilidade pastoral muito grande e muito prática” e com intervenções com “consistência e substância”.

“Era um amigo, muito comunicativo, muito alegre”, diz D. António Marto de D. Ilídio Leandro, que hoje faleceu.

Bispo da Diocese de Viseu desde 23 de julho de 2006, D. Ilídio Leandro pediu a resignação por motivos de doença, dado que sofreu um AVC e estava a fazer tratamentos a um cancro na tiroide; Francisco aceitou a renúncia em 2018.

Ilídio Pinto Leandro nasceu a 4 de dezembro de 1950, em Rio de Mel, Distrito e Diocese de Viseu; terminados os estudos em Filosofia e Teologia, no Seminário Maior de Viseu, recebeu a ordenação sacerdotal a 25 de dezembro de 1973, na Catedral de Viseu; foi diretor da Pastoral Juvenil, a nível nacional.

Bento XVI nomeou-o bispo de Viseu a 10 de junho de 2006 e a ordenação episcopal decorreu a 23 de julho do mesmo ano.

PR

Partilhar:
Share