Irmã Arminda Faustino afirma que Semana Nacional da Educação Cristã, que iniciou este domingo, ajuda a «tomar mais consciência do contributo» de cada pessoa nas comunidades

Lisboa, 18 out 2021 (Ecclesia) – A diretora do Departamento de Catequese do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC) afirmou que este setor pastoral se destina às crianças, aos adolescentes e também aos adultos, considerando a comunidade “a grande catequista”.

“A grande catequista é a própria comunidade”, afirmou hoje a irmã Arminda Faustino, no Programa Ecclesia, transmitido na RTP2, lembrando a importância da comunidade na experiência inicial de cada um no seu caminho na fé.

Para a nova diretora do Departamento da Catequese do Secretariado Nacional da Educação Cristã (SNEC), que iniciou funções neste Ano Pastoral, os “mais pequeninos”, logo no primeiro ano, no seu grupo, vão “tomando consciência, pouco a pouco”, que são muitos mais e “não é apenas aquele grupinho”.

Segundo a irmã Arminda Faustino, a catequese “não é apenas com as crianças, com os adolescentes”, porque existem os pais e os irmãos, os avós e os primos, têm amigos, “muita gente” e o catequista “pode chegar muito mais longe”, por isso é importante o acolhimento e o “olhar atento para as famílias”.

A religiosa das Irmãs Missionárias Reparadoras do Sagrado Coração de Jesus destaca que, na pandemia Covid-19, “alguns catequistas inventaram-se”, foram “criativos”, o que “foi ótimo para os miúdos e para as suas famílias”.

“Como estavam em casa e o catequista sentia-se obrigado àquele contacto permanente. Também houve situações que não tiveram essa possibilidade e foi difícil mas acho que nos ajudou, foi como que um laboratório que tivemos a possibilidade de ir descobrindo”, desenvolveu.

Foto: Samuel Mendonça

A coordenadora do Departamento de Catequese do SNEC explica que existem critérios para ser catequista, que “é uma missão e uma vocação e não pode ser feita individualmente, nem isoladamente”, e a Igreja “como mãe sempre indicou esses critérios”.

“O adolescente percebe muito bem como é que o catequista está ou não está integrado, e lida com os outros, desde a relação com o pároco, desde a relação com os catequistas, com as pessoas, com outro pessoal no seu dia-a-dia. Hoje o catequista não é catequista uma hora por semana mas é em cada momento da semana”, acrescentou.

A Igreja Católica em Portugal começou este domingo a celebrar a Semana Nacional da Educação Cristã 2021, apontando a “novos caminhos” no setor, refere numa nota a Comissão Episcopal da Educação Cristã e Doutrina da Fé (CEECDF).

Para a irmã Arminda Faustino esta semana anual é importante para “ajudar a tomar mais consciência da necessidade de cada um, do contributo de cada um, sobretudo nas comunidades”.

A religiosa salienta que uma das notas que os bispos lançam para esta Semana da Educação Cristã é o cuidado com a “equipa de catequistas, que é chamado a tornar-se este fermento de vida comunitária e de sinodalidade”.

HM/CB/LFS

Partilhar:
Share