Cardeal português despediu-se dos participantes nas celebrações do 13 de maio

Foto: Arlindo Homem

Fátima, 13 mai 2019 (Ecclesia) – O cardeal português D. António Marto elogiou hoje em Fátima o testemunho “impressionante” dos peregrinos que acorreram à Cova da Iria, para as celebrações do 13 de maio, resistindo ao calor.

“Parabéns, muitos parabéns, e muito obrigado pelo vosso impressionante testemunho de fé, que muito me alegra e me conforta”, disse o bispo de Leiria-Fátima, no final da Missa conclusiva da peregrinação internacional.

As celebrações evocativas da primeira aparição de Fátima, em 1917, foram presididas pelo cardeal Luis Antonio Tagle, arcebispo de Manila (Filipinas).

“Peço que leve um grande abraço de Fátima para todo o povo das Filipinas”, disse D. António Marto.

O bispo de Leiria-Fátima falou da experiência que peregrinos de todo o mundo fazem na Cova da Iria, como um “um povo único” e “um povo abençoado por Deus”.

“Não há maior bênção do que ser amado por Deus e comunicar este seu amor a todos”, acrescentou.

A peregrinação internacional de maio, que decorreu 102 anos após a primeira aparição na Cova da Iria e dois anos após a visita do Papa Francisco, teve como tema ‘Dar graças por peregrinar em Igreja’.

Foto: Santuário de Fátima

A convite de D. António Marto, os peregrinos rezaram uma Avé-Maria pelo Papa Francisco, que nestes dias recordou várias vezes as celebrações do 13 de maio, desde o Vaticano.

Segundo o Santuário de Fátima, inscreveram-se para a peregrinação internacional 202 grupos de 40 países.

O programa encerrou-se com a Procissão do Adeus, um dos momentos mais emblemáticos das peregrinações internacionais aniversárias.

Milhares de peregrinos a pé acorreram à Cova da Iria, após um percurso que contou com 91 postos de apoio, ao longo de cerca de 1430 quilómetros, por todo o país.

OC

Partilhar:
Share