Peregrinação Nacional de Motociclistas a Fátima foi um dia de «fé, amizade, convívio» e passeio de mota

Fátima, 19 set 2022 (Ecclesia) – 140 mil peregrinos de vários motoclubes e grupos, como os motards ‘Santo Agostinho’ e ‘Samaritano’, participaram este domingo na sétima edição da Peregrinação Nacional de Motociclistas, a ‘Bênção dos Capacetes’, ao Santuário de Fátima, e encheram o recinto de oração.

“Sentir-se protegida pelo divino. A fé faz-nos mover e faz-nos acreditar em que o Senhor nos protege, e abençoando os capacetes é receber essa proteção, o receber dessa segurança, desse aconchego. É o que nos faz vir a Fátima nesta peregrinação”, disse o presidente do Grupo Motard Santo Agostinho, em declarações à Agência ECCLESIA.

Para Hugo Pataca, o regresso da ‘Bênção dos Capacetes’ ao Santuário de Fátima, a última edição foi em 2019, assinala o “final das restrições” relacionada com a pandemia, e “faz todo o sentido, é um encher do coração repetir a peregrinação de motociclistas”.

“Para um grupo cristão que segue a sua doutrina segundo Santo Agostinho não há melhor exemplo do que esta comunidade motard que esteve presente, que esteve a caminho de Fátima, e que se organizou para um lugar de culto e de oração, onde cada um pôde receber a bênção do seu capacete”, desenvolveu.

De Salreu, em Estarreja, na Diocese de Aveiro, o Grupo Motard Samaritano também esteve no santuário mariano, e Lino Valente levou “um capacete novo”, que já tinha “um símbolo de Nossa Senhora de Fátima com o terço”.

“São sentimentos, acho que ela me protege de todas as viagens que faço durante o ano e tenho fé. Acho que Nossa Senhora de Fátima protege. Não sou praticante, mas sou religioso, tenho muita fé”, referiu.

Lino Valente já participa há muitos anos nesta peregrinação e recorda, emocionado, quando as motas também entraram no recinto de oração do Santuário de Fátima, “com o falecido padre José Fernandes” [Lambelho], o padre motard.

“Isso sim, as motas cá dentro arrepiava muito. Deixámos de ter as motas, mas temos sempre os nossos capacetes, os nossos estandartes”, acrescentou.

Segundo o sócio fundador do Grupo Motard Samaritano, “o que interessa é a intenção” e participar na ‘Bênção dos Capacetes’, “um dia de passeio, de convívio, e um dia de fé”.

Este grupo de Salreu, Estarreja, tem 22 anos, mais 150 pessoas membros, e foram buscar o seu nome ao padroeiro da freguesia, São Martinho, que “era um bom samaritano, cortou a capa para dar a um pobre”, e têm tradição em ser solidários, seja com outros motards, e com “muitas pessoas carenciadas”, participando em diversas iniciativas.

Já o ‘Grupo Motard Santo Agostinho’, fundado em 2017, após alguns anos de estrada em conjunto, tem cerca de 40 membros e integra a Paróquia de Santa Iria, em Loures, no Patriarcado de Lisboa.

“Somos parte integrante das procissões na zona de Santa Iria da Azóia, participamos nas atividades e na agenda da paróquia, organizada pelos grupos, rolamos também entre os outros grupos motards. Tivemos agora na organização da Bênção dos Capacetes, com o carisma motard e com o carisma religioso. E fazemos todos esses passeios trazendo a nossa fé”, desenvolveu o presidente.

Hugo Pataca explica que os membros do Grupo Motard Santo Agostinho fazem o seu “percurso motard, integrando”, mas também “a evangelizar”, através do carisma de Santo Agostinho, “a vivência em comunidade e a partilha das experiências”.

Segundo o entrevistado, as pessoas fazem “algumas perguntas por curiosidade” ao conhecerem um grupo motard cristão, e “ficam bastante contentes com a postura e as respostas”, porque são cristãos motards, “apenas une duas paixões, duas crenças”.

Para o motard agostiniano “está completamente desatualizado” o ideal de não associar os motards à prática religiosa, e a ‘Bênção dos Capacetes’ é uma das provas.

“Um cristão que partilha da paixão das duas rodas consegue partilhar e evangelizar rolando pela estrada”, Hugo Pataca, presidente do Grupo Motard Santo Agostinho. 

Para o reitor do Santuário de Fátima era “com redobrada alegria” que viam o recinto “encher-se com tantos membros de clubes de motociclistas”

“Fátima transmite-lhes antes de mais uma mensagem de esperança e de confiança. A invicção da bênção tem este significado de confiar a Deus também aquilo que são as viagens e deslocações que fazem, e Fátima tem esta capacidade de ser lugar de encontro que lhes uma força nova para encararem a vida com mais otimismo”, disse o padre Carlos Cabecinhas, aos jornalistas.

Carlos Pereira, que organiza a ‘Bênção dos Capacetes’, desde 2015, afirma que “a fé, a amizade, o convívio, o passeio de mota até Fátima” motiva as pessoas a estarem ali, e era “uma alegria imensa, ao fim de três anos, estar no santuário”.

“Não há palavras que possam explicar a dedicação quer dos grupos, quer das centenas de motociclistas que estão no santuário para assistir a esta peregrinação”, acrescentou, lembrando também que esta iniciativa é solidária e, nesta sétima edição, vão “ajudar Marco Silva, piloto de motocross, que em novembro do ano passado teve um acidente enquanto treinava e ficou paraplégico”, por isso, o valor angariado no merchandising é para “o máximo de sessões de fisioterapia”.

A Peregrinação Nacional de Motociclistas tinha duas madrinhas, a jovem piloto de motociclismo Carlota Carochinho, e a cantora e motociclista Rita Guerra.

Foto: Santuário de Fátima

Com 11 anos, Carlota Carochinho recorda que já tinha participado nesta peregrinação, “como motociclista com os pais”, e este convite foi uma “honra”, Rita Guerra destacou, para além da dimensão solidária, que era “um dia de reflexão, de paz espiritual, de reunião de amigos, de reencontro, de boa aura”.

A Missa foi presidida por D. Rui Valério, bispo das Forças Armadas e de Segurança, que na sua homilia se dirigiu aos peregrinos, convidando-os a “viver na esperança”.

O Papa Francisco também se associou a esta peregrinação, com uma mensagem, enviada através do substituto para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado do Vaticano, e que foi lida no final da celebração.

A organização da sétima Peregrinação Nacional de Motociclistas ao Santuário de Fátima contabilizou que participaram 140 mil peregrinos na Bênção dos Capacetes 2022 na sua página na rede social Facebook, e já anuncia uma nova edição para a Cova da Iria, no dia 17 de setembro de 2023, organizada por motoclubes e grupos motards de norte a sul de Portugal e do Arquipélago do Açores.

CB/OC

 

Fátima: Milhares de motociclistas participaram na «Bênção dos Capacetes»

 

Partilhar:
Share